Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Politica de Transferências «Será que andamos todos a dormir?»

Politica de Transferências «Será que andamos todos a dormir?»
Mais um clube a pôr o "dedo na ferida" no que diz respeito à Politica de Transferências da FPP.

Concordando com o que abaixo publico, acho que está na altura dos Senhores Competentes e Responsáveis olharem para esta politica que na minha opinião está aos poucos e poucos a retirar praticantes e a fazer recuar a modalidade para patamares nunca dantes observados, e dou como exemplo o que vem mencionado:

«Como é possível dois jogadores formados no Clube A desde Benjamins e que ao fim de 8 anos por falta de equipa no seu escalão mudam para o Clube B, e no ano seguinte regressam ao Clube A que os formou, esse mesmo clube ter de pagar mais de 1000 euros»

O espaço fica aberto a todos os comentários, esperando que através de criticas, opiniões, sugestões entre outras todas no sentido construtivo se consiga fazer chegar a quem de direito, opções válidas para que a modalidade progrida e a formação seja valorizada e os clubes formadores ressarcidos da mesma, e que a Politica de Transferências se torne justa e não apenas "onerosa" para os clubes.

Documento:


(Fonte: Cartão Azul)

Comentários

  • Helder Silva: É simples de entender. Chama-se "CHULICE".
    As verbas que cobram aos clubes são uma vergonha e ainda pactuam com outra ainda maior. O clube que faz formação não recebe nada dessas verbas porquê ?
    Por outro lado, os clubes vêm-se obrigados a andar a "mendigar" junto de ex-atletas para poderem apresentar um plantel, sendo que alguns deles, só poderão mesmo ir aos jogos.
    Pergunta... Será esta a melhor maneira para aumentar o nivel e a competitividade na modalidade ?
    Creio que não.
    Tudo não passa de uma quintinha onde tanto o CIRH e a Federação de Portugal comem do mesmo, a ver pela acção de divulgação (supostamente) foi feita na Austria, ainda por cima com a lata de dizerem que se tratou de uma acção de "louvar". Digo supostamente porque não foi mais do que uma clinica de hoquei em que cada jogador (criança) teve de pagar 250 Euros.
    Estiveram presentes creio que 23, é só fazer contas.
    Gostava que esses valores fossem tornados publicos, bem como o seu destino. Seria capaz de jurar que um "amigo" a residir ou com conhecimentos na Austria tratou de tudo, de forma a ser possivel esta acção de "DIVULGAÇÃO" (Clinica) da modalidade.
    Estão a matar o hóquei aos poucos e uns por medo de represálias, outros por serem burros, outros por serem lambe-botas e por fim, outros que comem no mesmo prato, aceitam que esta vergonha continue.
    Uma Federação deve cobrar sim, mas de forma justa e de maneira a desenvolver a modalidade e os clubes que dela fazem parte. Nada disso acontece, é só meter para dentro. MAs esquecem-se que se os clubes forem acabando (como é o caso) vão começar a receber ZERO. Ou então cada vez mais baixam o nivel porque têm de contar com jogadores retirados para não pagarem transferências.

  • Miguel [Não autenticado | IP: 188.82.xxx.xxx]: Culpa do hóquei estar a caminhar para a extinção é:

    1ª FPP
    2º Associações de Patinagem
    3º Dirigentes dos clubes
    4º Atletas seniores/assalariados

    1 FPP porque é o responsável máximo e ponto final

    2 associações de patinagem porque é quem coloca os incompetentes na FPP.

    3º dirigentes de clubes porque 80% dos clubes trabalham e sao governados da mesma maneira que se geriam em 1960. ainda os dirigentes porque tanto se queixam mas nunca os vi juntarem-se todos e darem um murro na mesa....falta alguem com eles no sitio.

    4º atletas e porque, porque compactuam com a falta de palavra e de cumprimento salarial dos clubes, quando é que se juntam todos e dizem ou nos pagam ou não jogamos? não existe 1ª,2ª,3ª divisao sem jogadores temos o exemplo do futebol espanhol ainda agora.

  • Apaixonado do hoquei [Não autenticado | IP: 89.154.xxx.xxx]: Fácil, apartemo-nos da federação e façamos um campeonato à parte! Todos sabemos que a federação cobra taxas enormissimas, então, basta 10 clubes não se inscreverem e fazerem um campeonato autonomo....
    Por exemplo, na zona de Lisboa: Juntando os clubes da linha, mais a Amadora que n se inscreveu por falta de verbas, mais alguns outros da regiao, ja se faria um campeonato bem jeitoso...
    Apenas uma opinião que ao ser concretizada e se a moda pegar, criar-se-ia uma federação à parte e poriamos os meninos que andam a comer às custas de todos em ordem!
    E mais não digo, saudações hoquisticas

  • Nelson Alves: E agora eu pergunto: porque é que só o Hélder Silva, que agora pratica Hóquei em Linha (corrija-me se estiver errado...) é que dá a cara?

  • Helder Silva: Nelson, não pratico hoquei em linha, porque a mesma Federação não quer que exista a modalidade em Portugal. Reunimos um grupo de apaixonados da modalidade, pagamos aluguer num pavilhão e jogamos entre nós uma vez por semana. Mas mesmo quando o pratiquei nunca deixei de dar a cara. Com tudo o que de mau daí sempre representou para mim e para os meus. Mas não abdico de me revoltar e de dar a minha opinião que vale o que vale, mas em defesa de uma modalidade que adoro desde Moçambique, onde seguia TODOS os jogos do Sporting de Portugal e da selecção pelo rádio. Nunca pratiquei hoquei em patins infelizmente ou felizmente já não sei.

  • pedro santos [Não autenticado | IP: 77.199.xxx.xxx]: nelson as pessoas que poderiam dar a volta ao hoquei..quase todas ou todas dependem do hoquei..uns ainda jogam..outros ja nao mas,querem continuar ligados ao hoquei..sejamos curtos e grossos--TODOS MAMAM..
    que ninguem fique melindrado com o TODOS MAMAM..
    aceito prefeitamente que os jogadores estao para jogar e ganhar o deles e que quem vá para treinador faça o mesmo..
    da maneira que esta o pais ganhar mil,dois mil,3 mil ao fim do mes com o hoquei dá muito muito jeito..
    eu estou-me a referir obviamente a uma pequena elite..
    que de facto poderia mudar o hoquei..
    o hoquei precisa de uma limpeza..mas com urgencia..
    as transferencias sao absurdas(num dito dsporto amador ehehe)
    o seguro desportivo é vergonhoso

    nao á patrocinadores,o pais está na miseria,pelo que vejo já sao alguns clubes a acabar ou nao inscrever equipas..

    portanto ou a federaçao toma medidas o que nao me parece
    ou jogadores e clubes tomam medidas,o que tambem nao acredito

    E NO FIM DISTO VOLTAMOS AO ZERO..
    E PORQUE?A FRASE DO HELDER EXPLICA TUDOOOO

    Estão a matar o hóquei aos poucos e uns por medo de represálias, outros por serem burros, outros por serem lambe-botas e por fim, outros que comem no mesmo prato, aceitam que esta vergonha continue.

  • Miguel [Não autenticado | IP: 188.82.xxx.xxx]: Pedro Santos tens que me dizer quem são os clubes que pagam esses altos salários, pelo meu conhecimento só 4,5 clubes em Portugal pagam isso. Penso que nao conheces a realidade

    de resto temos o resto dos clubes/dirigentes que dizem damos-te 700euros(um exemplo) e pagam2,3 vezes a epoca toda...

  • Paulo Figueiredo: Há muitos anos que defendo uma Liga Profissional.
    E meus amigos Profissional no sentido de trabalho e competência! não pensem só no dinheiro... mas já é tarde muito tarde para se fazer algo.

  • pedro santos [Não autenticado | IP: 77.199.xxx.xxx]: miguel se reparares eu disse pequena elite..
    eu conheço a realidade,mas eu nao sou ninguem..
    e mesmo que se juntassem muitos como eu o hoquei nao ia mudar..
    so vai mudar se certas pessoas o quiserem..
    e voltamos ao mesmo..ao zero..
    quem pode mudar nao muda porque dá jeito o que se ganha..tinha de existir aqui uma força conjunta que por conivencias nao existe..
    a federaçao vai enchendo o cofre da maneira que pode..
    e por ai fora..associaçoes e certos clubes..td conivente..
    portanto é o salve-se quem puder..
    paulo figueiredo n é necessario ter uma liga profissional para se ser profissional e fazer bons trabalhos..
    mas deves concordar que para tal liga existir as leis teriam de ser diferentes..e portanto a maioria dos clubes incupridores provavelmente nao quereriam tal coisa..é bem mais facil mandar uns bitaites sobre a federaçao e pagar so 3 ou 4 meses de salario pk sabem que nao lhes acontece nada

  • APBóia [Não autenticado | IP: 213.22.xxx.xxx]: A única coisa que me agrada é o facto de estar a existir um consenso generalizado sobre a ideia de que estamos a dar cabo da formação (que é o futuro do hóquei) com a actual politica de transferencias da FPP. Não conheço as razões financeiras porque o fazem mas teremos em breve que optar: ou damos cabo do hóquei a curto/médio prazo ou criamos já um défice na FPP com as consequências que tiverem que acontecer.
    Repito: o bom é que o mundo do hóquei em Portugal está atento pelo que em breve surgirão naturalmente soluções para este problema.

  • FJORGE [Não autenticado | IP: 93.102.xxx.xxx]: Realmente é lamentável que isto aconteça quando todos sabemos que está a minar a modalidade e a acabar com ela. Contudo o problema parece complexo porque vemos elementos federativos e associativos "presos à cadeira" à imensos anos mas também não existe ninguém que avance para a sua substituição. Será de salientar também que essa substituição muitas vezes é minada pelos clubes que concordam com essas direcções.
    Muitos clubes deviam levantar a sua voz, muitas outras pessoas deviam avançar, pessoas com nome na modalidade e outras com ideias novas e mentalidades diferentes, porque nem isso os actuais dirigentes se dignam a aceitar, mudança não é com eles. É pena que a modalidade continue a redegrir e clubes a desaparecerem por falta de verbas. Disse-me um dirigente da Federação que está também no Comité Internacional que "qualquer clube tem 30 ou 40 mil euros para fazer uma época ou então é melhor desistir". Assim se faz o Hoquei.....
    Quanto ao Hoquei em Linha fui um dos primeiros praticantes e impulsionadores da modalidade em Portugal até à sua participação num campeonato do Mundo. Mas mais uma vez os dirigentes que tinhamos e que ainda temos em vez de terem uma visão de aprendizagem para o futuro resolveram termibar tudo porque não dava titulos.
    Esses senhores vivem de titulos de estágios de reciclagens, de viagens, de deslocações .... e tudo se paga. Todos aparecem junto das selecções que conseguem ter mais elementos federativos na comitiva do que jogadores....tudo se paga mesmo!!
    E com o buraco financeiro da federação tudo continua caro e com imensas taxas e despesas.
    nquanto houver para eles e enquanto os clubes não se movitarem e se desviarem como já fizeram outras modalidades esses "campeões" de secretária vão continuar a minar isto.
    Um bem haja a todos quantos se levantem em defesa da mudança disto tudo e em prol do crescimento da modalidade que não pode viver apenas para o entretenimento de determinados senhores...

  • Helder Silva: Se quisermos ser isentos e honestos, gostaria que TODOS pudessem pensar um pouco sobre as próximas linhas que vou escrever, alertando já para o facto de ser “apenas” a minha humilde opinião e sem qualquer tipo de pretenção ao que quer que seja. Não estou ligado a nada nem a ninguém. Cometo erros e digo baboseiras como qualquer um, portanto aqui vai, porque mesmo podendo estar completamente errado num ou noutro ponto, é o que me vai cá dentro depois de andar por dentro da modalidade durante mais de 14 anos e ter tido a sorte de conhecer o outro lado da verdadeira organização desportiva durante dez anos, falo da IIHF
    http://www.iihf.com/
    No mundo do hóquei em patins, nomeadamente em Portugal...
    - Existe uma Federação, que nada faz em prol da modalidade, vive à custa dos subsidios do estado e da FIRS e ainda por cima se aproveita dos clubes, aqueles a quem deveria ajudar, ficando com as receitas das transferÊncias na integra e cobrando taxas absurdas pela organização de jogos.
    - Existe uma classe de árbitros da modalidade, que regra geral, são mais do que fracos e sem qualquer formação no hoquei em patins, não percebendo os movimentos naturais, quer da bola, do stick, da patinagem, etc, indispensáveis para seguir as jogadas, além de grande parte deles terem muito má condição fisica e como homens serem pessoas cheias de “traumas” pois na sua grande maioria vêm "excluidos" para não dizer CORRIDOS, do futebol e do futsal.
    - Existe ainda uma geração de dirigentes, cujos objectivos principais são passar o máximo de tempo fora de casa e "ajudarem-se" à custa do clube que representam, daí o aceitarem de ânimo leve as chantagens e vergonhas que a Federação lhes impõe. Para eles dá igual, desde que se arrangem uns jantares e umas reuniões.
    São os mesmos, que prometem mundos e fundos aos jogadores e treinadores depois não lhes pagam, sem que nada lhes aconteça. Mesmo quando estes recorrem aos tribunais, quem vai ter de acabar por pagar é sempre a direcção seguinte, como tal...
    São os mesmos, que quando os patrocinadores deixam de pagar ao clube não o exigem porque sempre vai vindo algum por fora e dá sempre jeito.
    Não fazem a mais pequena ideia do que é gerir um clube e equipas em copmpetição desportiva, por isso como não pagam aos treinadores, logo também não lhes exigem resultados (não falo só de vitórias).
    São os mesmos que permitem que vivam rodeados de alguns denominados “directores” para irem passear e “papar” uns almoços e jantares.
    - Nada fazem para promover a formação, sendo esta muitas vezes "alimentada" e desenvolvida à custa do esforço dos atletas da casa que nada recebem e muitas vezes ainda são maltratados.
    - Existe uma classe de jogadores, que também procura o mesmo de alguns dirigentes, ou seja, estar fora de casa o mais possivel, portanto para eles dá igual se jogam mais ou menos, se treinam mal ou bem, se ganham ou perdem, até porque muitos deles nem recebem 1/3 daquilo que lhes prometeram no inicio, mas também como não se esforçam muito...
    Uma classe de jogadores que não entende que o futuro da modalidade também passa pelo seu contributo na formação dos mais novos, fazendo parte da formação do clube, ainda que em regime de voluntariado, creio ser esse o “dever” de quem tanto deu e recebeu À modalidade, porque sem novos elementos a modalidade não cresce e tudo assim será de forma exponencial.
    Existem ainda outros que os denomino por "hoqueiros", que controlam o balneário e grande parte dos treinadores, com intriga, incompetência e o truque os vai mantendo ano após ano na modalidade, tapando muitas vezes o caminho aos mais jovens valores que se ousarem colocar em causa o seu lugar, nunca mais se levantam do banco.
    São estes mesmos jogadore,s que se fazem amigos deste e daquele, e vão controlando também as transferências nos escalões mais novos, vão controlando a venda de material aos pais, a "troco" de umas palavrinhas ao mister para o filho ir jogando mais, etc, etc.
    - Existe uma "classe" que fabrica e comercializa equipamentos, quase tudo pela "porta do cavalo" e engraçado que é assim de Norte a Sul, entre jogadores, treinadores, dirigentes, pais de atletas e inclusive árbitros, onde alguns até vendem várias marcas ao mesmo tempo.
    Esta mesma classe de "fabricantes" opera à muitos anos dentro da ilegalidade, pois nenhum deste equipamento cumpre as regulamentações europeias de material destinado à pratica desportiva, especialmente as normas de segurança.
    Já alguém se deu ao trabalho de procurar as especificações, etiquetas, fichas técnicas, de patins, luvas, caneleiras, etc ?
    Não vale a pena porque não existe, somente o material que se destina ao hoquei no gelo o tem.
    Por esta razão também, a modalidade não pode evoluir, porque a alta tecnologia não chega ao hóquei em patins, porque "eles não têm" e como tal não deixam.
    O dominio e controle é tanto e tão vergonhoso que me recordo perfeitamente quando apareceram os peitilhos de jogador de gelo (aproveitados para os g/r de hoquei em patins) que como a marca da casa “TVD” e os seus peitilhos de brincar , feitos na garagem não podiam competir com a mais alta tecnologia, não sei o que terá feito, mas num ápice a Federação assim tipo ontem, emitiu um comunicado a proibir esses peitilhos, escudando-se atrás de umas medidas que não fazim sentido nenhum, tanto mais que são hoje utilizados.
    Nas modalidades desportivas, são também as marcas fabricantes, que desenvolvem os materiais e os promovem junto dos clubes e atletas, de forma a aumentar a qualidade o design e a segurança.
    Aqui, é tudo feito por baixo da mesa e em autênticas garagens por métodos artesanais.
    Como se pode explicar que ao fim de mais de 40 anos, as botas ainda tenham um tacão, que não permite ao atleta colocar todo o peso do corpo no patin, quando deveria ser o chassis a ter um design para o efeito ?

    - Existe uma classe de sócios que são umas "marias que vão com as outras" e que não procuram saber o bom e o mau que se passa no clube, que apoiam este ou aquele segundo são mais ou menos amigos, se os filhos jogam juntos, se são ou não titulares, se saem juntos depois dos jogos e depois ainda existem os outros, coitados que são usados forte e feio, pelo amor que têm ao clube.
    -Existe ainda uma classe de treinadores, felizmente já a acabar, que aprenderam num livro que foi feito há muitos e muitos anos e daí para cá serve como Biblia Sagrada, sem o minimo de actualização e inclusive de preparação para o cargo.
    Pior do que isso, defendem-se todos muito bem uns aos outros de forma a manter o nucleo duro, embora nem se possam ver uns aos outros, qundo deveriam promover o diálogo e a troca de experiências.
    Os lugares de seleccionadores são disputados e decididos por tudo menos pelos resultados e provas dadas e todo aquele que para lá vá é imediatamente o alvo a abater pelos outros que ficaram de fora.
    - MAS, FELIZMENTE nos ultimos tempos a tendência tem sido para melhorar, tenho é receio que seja tarde quando se fizer alguma coisa. Têm aparecido novos valores nos treinadores, nos dirigentes e mesmo até nos árbitros, que aos poucos creio que se irão libertando das amarras que lhes põem mal aterram na modalidade.
    Sei que depois do que escrevi, terei ainda mais gente que não me poderá nem ver, encarando-me sempre como um individuo que é uma séria ameaça à modalidade. Agora já nem podem dizer que quero promover o hoquei em linha porque isso, praticamente já dei como tarefa impossivel, pelo menos enquanto os responsáveis pela FIRS continuarem a acreditar nso relatórios falsos que recebem todos os anos por parte da FPP.
    Mas, vou a caminho dos 50 anos e deixei de ser politicamente correcto e de gostar de me dar bem com todos. Dou e continuarei a dar com aqueles que me olharem nos olhos e me fizerem o favor de me conhecer sem “empranhar” pelo que os outros inventam. Nesta idade já nada nem ninguém me mete medo, unicamente me merecem respeito aqueles que felizmente ainda se conseguem manter dentro da modalidade e eles todos sabem bem o apreço e estima que por eles tenho e o valor que lhes reconheço, inclusive admiração.
    Não posso (aprendi) enaltecer o trabalho dessas pessoas, cada uma na sua área e são muitas felizmente, porque a partir desse momento, correria também o risco de os poder como amigos, porque por minha cusa indirecta, eles próprios estariam perdidos no clube, na associação, na federação e em geral no mundo do hóquei.
    Apesar de eu não ser nada nem ninguém, a vida nas “pequenas” quintinhas é mesmo assim.
    Estarei e seguirei cada vez mais atento às ameaças, que sempre recebi e que creio poderem continuar, relativamente aos meus que estão na modalidade, mas com as novas tecnologias, televisão e internet e as redes sociais, será bem complicado para aqueles que tentarem usar essa arma que tão bem dominam há muitos anos, como tal, não me preocupa minimamente, porque só defendo a modalidade e quero que ela volte a ser grande, inclusive maior do que alguma vez foi e ainda é possivel.
    Como já o disse, existem muitos jovens a chegar ao hp com muita qualidade, honestos e audazes , como jogadores, treinadores, árbitros e até jovens dirigentes, que mais dia menos dia darão a volta por cima e tratarão de mostrar ao mundo a vergonha que andou escondida durante muitos anos e que quase acabou com a modalidade.
    Já aqui o disse, mas repito que em 2003 enviei um caderno com inumeras sugestões fruto dos ensinamentos que aprendi na IIHF, obviamente adaptados ao HP. Muitos deles não fariam muito sentido, mas outros já há muito deveriam ter sido adaptados, como recentemente quando alguém teve a coragem de mudar as regras... A melhor coisa que aconteceu à modalidade nos ultimos anos.
    A essas pessoas obrigado.
    Aos meus amigos e seus filhos praticantes, ao meu filho que nada tem a ver com a minha forma de ser e pensar, as minhas desculpas pelo mal que algum dia lhes possa causar, para que os cobardes se possam vingar de mim.
    Eu, estou cá e saberão onde me encontrar por esses pavilhões fora e conversarei com todos e principalmente, estarei pronto a pedir desculpa, como já o fiz em tantas ocasiões se me mostrarem que estarei errado.
    Vivo e um grande“VIVA” ao hóquei em patins.
    Acredito ainda ser possivel.

  • Mau Feitio [Não autenticado | IP: 188.140.xxx.xxx]: Bom dia.

    - Se o estado português, lhe apetece vender o BPN por 40M €, quando gastou o que gastou, por que é que a FPP, não pode cobrar o que lhe apetece?

    Ainda, se ao menos esse dinheiro servisse para pagar uns "ar condicionados" portáteis, para serem colocados em pavilhões em FF nacionais... Mas não, ao invés, o atleta que sofra e que desfaleça... Ou será para "pagarem" as transmissões desportivas ( AP Lisboa Versus Plurisports).

    Sejam competentes, pois incompetentes já vocês o são, e pensei na MODALIDADE e não no "BOLSO".

  • Pedro Caldas [Não autenticado | IP: 195.23.xxx.xxx]: É um dos temas mais escandalosos da nossa federaçao e os clubes nada fazem em contrario. Pagam caladinhos em vez de entrarem em clara ruptura com a federaçao devido ao grande roubo de que sao alvo. E como este caso existem imensos, como por exemplo aqueles que sao juniores e que passam a seniores e que pagam um balúrdio para se inscreverem numa equipa nova. Nao se esta a proteger o jogador nem sequer o clube que paga imenso à Federaçao e nao entendo porquê. Afinal que gastos tem tido a federaçao com o Hoquei para além das selecçoes para roubar tanto a todos os clubes?

  • Zé Nando [Não autenticado | IP: 188.80.xxx.xxx]: ainda à alguns dias foi postado aqui que a federação estava disposta a ouvir opiniões, pões bem onde andam agora?
    porque nao espelicao onde é gasto o dinheiro e o porque de os clubes terem de pagar tanto?
    pois, não lhes convém

  • Helder Silva: E as taxas que os clubes têm de pagar para organizar os jogos dos respectivos campeonatos ?
    Todos sabemos que com raras e honrosas excepções, as receitas de bilheteira não chegam nem para 10% daquilo que gastam para o realizar.
    Como podem os clubes sobreviver ?
    Como podem os jogadores receber alguma compensação pelo tempo que se privam da familia e amigos.
    Treinos durante a semana, jogos aos fins de semana e para quê ?
    Grande parte deles ainda chegam a casa revoltados pela qualidade (falta dela) das arbitragens, jogos há e não são poucos que são as duas equipas com razões de queixa.
    A tudo isto, a Federação fecha os olhos e deixa a arbitragem com total "liberdade para nos envergonhar".
    De que serviu serem implementadas novas regras queem tudo vieram beneficiar a modalidade quando depois deixaram nas mãos dos elos mais fracos a sua aplicação, os árbitros ?
    Equipas que não têm capacidade de representar Portugal em provas internacionais, clubes que fecham as portas por não conseguirem formar um plantel, nem fazer face Às dividas, não bastará para que percebam que algo tem de ser feito ?
    Para os jogadores, imaginemos um jogador mediano, como muitos que pretende mudar de clube, porque não joga no actual. Só se tiver dinheiro dele para pagar a transferência, porque decerto o clube destinatário não o fará a não ser que seja realmente uma grande mais valia. Se não for, tem duas opções, ou deixa de jogar um ano ou aguenta.
    Estão também a queimar os jogadores, porque nem todos são assim tão importantes que justifiquem o investimento de um clube já de si, decerto apertado de $.
    A rever urgentemente, antes que seja tarde.

  • Nelson Alves: Hélder Silva, és o meu herói. Disseste tudo nas tuas intervenções.
    Alguém quer dar alguma sugestão para tentar melhorar a formação de homens / mulheres e jogadores / jogadoras?

  • Helder Silva: Infelizmente Nelson, alguns de nós vão falando e expondo-se, a grande maioria até sabe que é assim mesmo que tudo se manipula, mas logo que a "competição" comece, voltam os medos, as ameaças, as pressões e a falta de coragem dos dirigentes dos clubes, dos treinadores e jogadores vai fazer com que tudo vole igual e igual para cada vez pior. Mas, não vou desistir de denunciar e alertar as pessoas de bem para estas atrocidades, embora eu tenha a plena noção que tudo irá cair em saco rôto.
    Eu não sou nada, têm de ser as pessoas do hoquei e dizer basta e a tomarem as decisões que precisam ser tomadas, como HOMENS e pelo que vejo há felizmente já por aqui muitos.

  • Paulo Figueiredo: Juntar um grupo de pessoas e formar uma liga profissional! é a unica solução!

  • Paulo Nunes [Não autenticado | IP: 195.234.xxx.xxx]: Realmente o Hélder Silva tocou em praticamente todos os pontos que têm vindo a "matar" a nossa modalidade.
    Mas sinceramente, quem é que são os verdadeiros culpados?
    SOMOS TODOS NÓS JOGADORES......
    Sem jogadores não há jogos, sem jogos não há taxas, sem taxas não há dinheiro para a FPP e só assim poderá sentir que deve de fazer alguma coisa.
    Todos dizem mal, todos dizem que é caro, mas na altura de pagar, pagam...
    Querem um exemplo de atitude? Olhem os jogadores do futebol espanhol, uniram-se e revoltaram-se, será que se os jogadores de hóquei em Portugal se unissem e se revoltassem a coisa não ia ser diferente?
    Muitos já passaram/passam por situações onde no inicio da época prometem uma coisa e depois cumprem um ou dois meses e acabou.
    Muitos já pensaram em tentar mudar de clube mas devido as taxas não o fazem.
    Muitos já se viram obrigados e "suplicar" por um clube, pois o que jogavam acabou
    PORRA, o hóquei não se faz sem jogadores, se não forem os jogadores a fazerem alguma coisa, ninguém o fará.
    A FPP e as Associações estão e irão continuar sempre na "sua", enquanto receberem o dinheiro. É o velho habito tuga, se esta a pingar, para que mexer?
    O hóquei depende dos jogadores e se não forem estes a fazerem algo para ele evoluir/melhorar ira continuar SEMPRE igual e todas as épocas ira haver alguém a queixar-se das taxas, alguém a dizer que é muito caro, clubes a acabar porque não têm dinheiro, clubes a acabarem porque não têm jogadores, etc...etc..., mas no fim, a época começa e lá para Novembro já ninguém se lembra das taxas, nem dos clubes que acabaram, nem dos jogadores que ficaram sem jogar...
    Para que o hóquei melhor é necessário que os jogadores tomem uma atitude, caso contrário irá ficar SEMPRE na mesma...

  • Ruijorgelopes [Não autenticado | IP: 2.80.xxx.xxx]: Aos administradores deste espaço.

    Não tenham medo de manter esta noticia bem visível, se calhar está aqui uma mensagem que um clube com pouca visibilidade no panorama hoquista, fez o que muitos e com responsabilidade não tiveram essa coragem. Todos o deviam fazer porque casos destes existem em grande número. Para fintar esta acção da FPP todos os anos deviam aparecer equipas novas e fechar as actuais, talvez os clubes tivessem menos despesa (o Hóquei Clube de Santarém passar a ser Santarém Hóquei Clube e no anos seguinte Clube Hóquei de Santarém, isto para não pagar taxas de inscrição, não sei se é permitido).
    Frases como:
    - estão a matar o hóquei, masculino e feminino, já se ouvem à muito tempo, no entanto a politica mantém-se;
    - os culpados foram os que infelizmente já cá não estão (saudoso Carlos Sena entre outros) que usaram e abusaram dos dinheiros publicos, mas o actual presidente também foi durante muitos anos vice do sr. citado e se é verdade contribuiu para as dividas prolongando as mesmas no seu mandato, senão não aplicava as Taxas e procurava mais apoios fora daqueles que o estado dá;
    - as associações são culpadas porque votam, mas aparecem alguém para os substituir ? onde estão os estrategas do nosso hóquei que sabem muito bem criticar mas na hora de dar a cara fogem;
    Apesar de tudo vão aparecendo estes srs. que por interesse, gosto, promoção, etc ou não estão lá e temos que os aceitar óu então planear um sucessão com gente que queira dar a volta a esta modalidade que cada vez tem mais praticantes na formação, a taxa de abandonos a partir dos 14 anos é grande e se alguém investiga-se o motivo do abando dos clubes e jogadores a partir dos 18 anos verificava que ainda era maior.
    O real problema da modalidade é que não existem ninguém que a estude a nível internacional, a nível nacional vai aparecendo alguns curiosos mas as suas vozes não chegam para modificar uma modalidade que vive do passado (vejamos as novas regras) e não têm uma perspectiva futura.
    Não tenham medo de manter este tema como primeira linha deste espaço.

  • Pedro Alves: Bom dia sr Rui Lopes.
    Como diria o outro: "O Medo é coisa que a mim não me assiste"

    Este artigo de opinião já não está "no topo" porque já tem 4 dias de vida e não pode ficar eternamente em destaque na página inicial, mas poderei dar o jeito e "puxar-la" para cima ;)

  • Helder Silva: Gostei do que li na crónica do sr. Rui Lopes.
    Propunha mesmo a abertura de um tema de discussão sobre o abandono/desistências nos jogadores de hóquei em patins.
    É uma realidade, que acontece por consequência de uma má gestão das equipas (treinador#plantel), por o hóquei em patins ser de há muito uma modalidade "fechada" e uma feira de vaidades (alimentar egos de alguns, em que os outros só servem para fazer numero) e lembrem-se que um elemento fundamental na existência e sobrevivência de um clube, pai e/ou pai/seccionista/director normalmente também abandona quando o filho desiste da modalidade.
    Claro que para dizer o que disse, o posso suportar e detalhar, segundo o meu ponto de vista, fruto de um estudo que fiz e a experiência vivida como adepto, jogador, pai e treinador.
    Aguardo a abertura desse tema, se o acharem oportuno.

  • António Alberto Lima Pereira: Meus caros, o problema das taxas já há muito vem sendo discutidas, mas infelizmente só os clubes "pequenos"sentem isso na pele. Uns dos temas pelo qual sempre me debati enquanto fui presidente de um desses clubes "pequenos" foi precisamente o valor da taxa de transferência. Ninguém sabe justificar o porquê de um jogador livre ter que pagar 1 salário mínimo para jogar na 3.ª divisão! Para que é esse dinheiro? Será que mudar a ficha do jogador da equipa A para a equipa B custa assim tanto? Não se percebe e não se encontram explicações. Quando digo que estes valores só incomodam os "pequenos" digo e senti-o quando um presidente dos ditos "grandes" me propôs a inscrição de 3 miúdos 1.º ano de seniores Quando eu lhe disse que nem pensar, pois tal situação me iria custar 1.350 euros, sabem qual foi a reacção do homem? Tanto, mas tem a certeza que custa assim tanto! A conclusão que cheguei foi que muitas das vezes os presidentes dos "grandes" nem sabem quanto pagam pelos jogadores!
    Quanto a estas taxas estarem a matar o hóquei, também muito debati sobre isto. A continuidade do hóquei está na juventude, mas no nosso país estamos a valorizar os "velhos" em detrimento dos novos. Como é possível um atleta livre de 20 anos pagar taxa de transferência e um atleta de 30 anos não? Estamos a caminhar precisamente ao contrário! Depois ouvimos alguns "entendidos" na matéria a ficarem todos satisfeitos por verem jogadores a jogar até aos 40 anos! E os novos? E os atletas na força da juventude e no pico da força e vontade de continuar a jogar? Esbarra no valor da taxa! Perdemos bons atletas, bons miúdos, por este valor ridículo. E sei do que falo. Num ano foi proposto ao meu clube a inscrição de 4 miúdos vindo de uma equipa onde não havia espaço para eles, diziam-me que até não eram maus, mas não tinham espaço pronto. Sabem o que lhes aconteceu? Pelo que sei só um continuou a jogar! E sabem porquê? Porque eu virei-me para o pai dele e disse-lhe: olhe meu amigo, eu até o inscrevia, até me dava jeito, mas não tenho dinheiro para a taxa. De pronto o Pai respondeu: eu pago a taxa! Hoje é um bom jogador, bom atleta e muito boa gente. Mas quantos têm esta possibilidade?

    Já estamos em tempo de inverter esta situação e pelo que me parece (acho que ainda não foi oficializado) o primeiro passo já está dado, pois as taxas de transferência para atletas de 1.º ano sénior vão desaparecer.

    Muito mais haveria para escrever, o "podre" do hóquei está instalado nos comudistas e só com sangue novo, com a força da juventude e a vontade de quem gosta do hóquei se pode inverter esta situação.

    Lima Pereira

  • António Rodrigues [Não autenticado | IP: 217.129.xxx.xxx]: Todos tocam nos pontos inessenciais , e acho que realmente são o “cancro” do hóquei.
    Porque que não se inverte os sistemas de taxas por exemplo em vez de ser ate aos 30 pagar taxas de transferências porque que não é por exemplo ate aos 25 não se paga transferências , ou por exemplo, ate se pode pagar taxas mas reduzir ( muito mesmo) e 80% ou 60% ia para o clube formador e o resto e que ia para a federação e que senão que ganhos e que tem o clube formador ( afinal de contas não e assim que acontece no futebol e não ouço queixas e mesmo assim a federação tem muito lucro) .
    Outra coisa falam aqui muito de mudar de presidente e comitiva mas porque que não agem , e mesmo a tuga e mandar a boca e esperar que alguém resolva , eu sou menor por senão vocês viam senão tentava fazer algo se há assim tantos apaixonador e tanta gente no desemprego e reformados porque que não arriscam e que pior que isto e difícil e assim estavam ajudar uma paixão vossa, uma paixão de muito e ainda o sonho dos mais novos eu onde estou aposto que não vou passar de seniores …. Qual e o clube de 1º divisão que fica com miúdos inexperientes, e resumindo saio de lá não é e digam-me um clube que mal tinha de pagar para ficar comigo não pagou e qual e o clube da 2º ou 3º que paga por um jovem sem experiencia nenhum não é, mas isto não se passa só e já com os meus colegas (gerações acima de mim) e por este andar com as gerações a baixo e que vai acontecer e o hóquei ser jogado por velhas guardas e acabar por morrer porque não há jovens a ficar nas equipas seniores….
    Desculpem lá alguma coisa mas e assim que eu penso
    Deixem de ser os antigos tugas sem os novos portugueses com orgulho daquilo que são e poder dizer eu salvei o hóquei , salvei a paixão de pessoas e todas as idades e sexos cumpri um sonho e salvei o de muitos

  • Atento [Não autenticado | IP: 89.154.xxx.xxx]: Para o Sr. Lima Pereira
    Está desactualizado, a redução das taxas de transferências no 1º ano de sénior estão oficializadas quase há um mês.
    Basta seguir o link:
    http://fpp.pt/ficheiros/pdf/comunicacoes/comunicados/2011/Comunicado29.pdf

    ARTIGO 19º
    (Hóquei em Patins – Taxas de inscrição de atletas e outros representantes dos clubes)
    5. Salvaguardando-se for caso disso o disposto nos artigos 14º e 16º deste Regulamento, ficam sujeitas ao
    pagamento duma taxa de inscrição anual de valor correspondente a uma inscrição “por revalidação” as
    seguintes situações:
    5.1 ...
    5.2 ...
    5.3 ...
    5.4 Inscrições “por transferência” de atletas que não sejam “estrangeiros” e se transfiram para um clube na sua primeira época como Sénior.

  • António Alberto Lima Pereira: Ó caro atento, ainda bem que já está oficializado... é que eu já estou desatento, por estas e por outras já deixei de ser presidente, portanto...

  • pedro santos [Não autenticado | IP: 84.99.xxx.xxx]: antonio pereira desculpe mas nao posso concordar consigo em relaçao a proteger os mais novos.. e nem acho que o problema do hoquei seja esse..
    um ateleta com 30-32-37 -38-40-..se tiver mais qualidade que os mais novos..deixa de jogar??é prejudicado??
    se voce me disser que anda muito jogador por ai com mais de 30 e de qualidade duvidosa a jogar e a tirar lugar aos mais novos,ate posso concordar..mas tambem existem muitos com muita qualidade..
    pergunto eu..em espanha-frança e por ai fora existem este tipo de taxas?
    isto é um tema de facil resoluçao..acabam-se as transferencias..paga tudo o mesmo..renovaçao de epoca,obviamente com os devidos ajustes..
    MAS ALGUEM ACREDITA QUE A FEDERAÇAO ACEITA ISTO???

  • joão [Não autenticado | IP: 195.23.xxx.xxx]: Para não falar só nas transferências que é realmente um roubo, falo também das taxas de arbitragens dos jogos de séniores que na 2ªdivisão é "apenas" 320€, e perguntem a um arbitro quanto recebe deste valor, e mais, há que somar ainda o policiamento ou seja 500€ um jogo em casa

  • Bruno Pedreira [Não autenticado | IP: 85.138.xxx.xxx]: Boa Tarde,

    Este assunto é um dos mais vergonhosos de sempre que temos na nossa modalidade.
    Os clubes gastam o dinheiro na FPP para as inscrições, com as taxas de organização de jogos, inspecções medicas obrigatorias e depois quem ganha com as transferencias é a FPP, está certo, é o que se chama "fazer filhos na mulher dos outros".
    Temos muito recente o caso da AJ Salesiana que acabou com o escalão senior principalmente porque um clube foi lá buscar meia equipa dos quais 3 eram atletas do clube á uns 10 anos ou mais e pela formação destes atletas a AJS recebeu 0€(só estes atletas e com as regras que acabaram precisamente nesse ano tinham pago metade da epoca desportiva da equipa senior) e a FPP recebeu a suas taxas que por azar para a FPP porque a AJS desistiu foram muito pequenas.
    Acho mais justo tabelar as transferencias como era antes feito, quem quiser deixar sair um jogador a custo 0€ para outro clube deve ser livre de o fazer, não perdendo o direito á formação do mesmo numa possivel transferencia para um terceiro clube, claro que até receber uma vez esse valor.
    Tambem penso que ao fim de um determinado tempo como atleta senior o jogador deve se tornar livre automaticamente um exemplo aos 28 ou 30 anos de idade passa a ser livre para se tranferir abertamente sem necessidade de pagamento de qualquer taxa adicional.
    Hoje temos muitos miudos a ficarem sem jogar um ano para terem a possibilidade de entrar num clube sem taxas á federação porque os clubes estão sem dinheiro, muitos são os pais que se chegam á frente porque sabes o quanto é importantes para os miudos a pratica de uma modalidade.

Notícias lidas no momento

A carregar...