Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Tudo para decidir no Dragão

Tudo para decidir no Dragão
Benfica e Porto adiaram para a segunda mão a decisão dos quartos-de-final da Liga Europeia ao empatarem na Luz a três bolas. O jogo teve sempre um Ben...

Benfica e Porto adiaram para a segunda mão a decisão dos quartos-de-final da Liga Europeia ao empatarem na Luz a três bolas.

O jogo teve sempre um Benfica mais ofensivo com um Porto apostado em levar a decisão para o Dragão. Os encarnados foram criando oportunidades - muito pelo trabalho de Carlos López na área adversária - mas só com a entrada de Carlos Nicolía o jogo ganhou mais espaços e outra velocidade mas foi o Porto a marcar primeiro. Com sete minutos e meio para jogar na primeira parte, num lance rápido de contra-ataque, Barreiros serviu Pedro Moreira na direita, que inaugurou o marcador.

Pedro Moreira bisou na partida

Nicolía chegou tarde para evitar o golo de Pedro Moreira mas fez por se redimir. Activo a atacar e a tentar recuperar a bola, foi rasteirado para grande penalidade por Jorge Silva - e empatou o jogo - e "cavou" um azul a Hélder Nunes que o levou para a marca de livre directo. No entanto, não conseguiu desta feita bater Edo Bosch. O Benfica dispunha ainda assim de dois minutos de "power play" (mais um pouco porque o relógio demorou a arrancar dos 2'46) e não desperdiçou. Carlos Lopez fez o 2-1 com que se chegou ao intervalo.

A etapa complementar começou na mesma toada de um Benfica a procurar (dilatar) a vantagem na eliminatória e o Porto a tentar que a contenda ficasse por resolver. Na precipitação dos encarnados no ataque, aos sete minutos, Hélder Nunes isolou-se e o capitão Valter Neves não hesitou em travar o seu colega de selecção numa falta para azul. Chamado a tentar converter o livre directo, Reinaldo - mesmo com segunda oportunidade, não conseguiu bater Trabal.

Carlos López prepara o remate que dará o 2-1

O Porto procurou aproveitar a vantagem numérica mas, num primeiro momento, o tiro saiu pela culatra. Nicolía isolou-se e fez o 3-1. Depois, a escassos segundos do fim do "power play", o Porto conseguiria mesmo concretizar, novamente por Pedro Moreira, repondo a diferença mínima (3-2).

O Benfica procurava, algumas vezes mais com o coração ou recorrendo à meia-distância, ultrapassar a bem organizada defensiva azul e um Edo Bosch seguro, mas sem sucesso. Com o passar do tempo, os encarnados acabariam por chegar à 10ª falta - numa pretensa simulação de Nicolía - e, num momento atípico, Guillém Trabal veria o azul por palavras. Entrou Pedro Henriques para, como noutras partidas, assumir o papel de

herói.

Caio festeja o empate a 13 segundos do fim

O guarda-redes habitualmente suplente do Benfica defendeu o livre directo - executado por Hélder Nunes - e, antes que os seus colegas se organizassem, protagonizou uma punhado de decisivas intervenções, trazendo o muito público presente para o jogo no apoio à equipa da casa.

A desilusão para os encarnados chegaria a 13 segundos do final. Já com Trabal na baliza e com os seus companheiros a procurarem a vantagem de dois golos, o ex-benfiquista Caio entrou pela direita e estabeleceu a igualdade final a três golos.

O jogo do Dragão será realizado domingo, dia 22, em virtude de no dia anterior o pavilhão estar ocupado com uma partida da Taça EHF (andebol).

No final da partida, numa incaracterística - mas de saudar - conferência conjunta, Pedro Nunes considerou o empate justo, ressalvando que a sua equipa não se deveria ter precipitado no final, dando o empate ao adversário. Tó Neves concordou no empate e fez questão de destacar a "generosidade e solidariedade" da sua equipa. Após as intervenções dos treinadores, Diogo Rafael sublinhou as marcas que ficam com um golo sobre o final e a postura, já esperada pelo jogador e adoptada pelo Porto neste jogo.

Os outros jogos

A meia-final que vai contar com Benfica ou Porto deixou tudo para a segunda mão. Isto porque no jogo dos quartos de onde vem o adversário dos portugueses, Liceo e Vic também não foram além de um empate (mas a duas bolas).

Já do outro "lado" do acesso à Final Four, o Barcelona carimbou praticamente o seu passaporte para as meias com uma vitória em Valdagno por 2-6 e espera agora o desfecho da meia-final italiana. O Breganze venceu por 5-2 o Forte dei Marmi e leva uma preciosa vantagem para a segunda mão, mas o Forte é uma equipa com muitos recursos ofensivos e nada está garantido.

Jogos relacionados

SL Benfica 3 : 3 7 Mar 17h00 FC Porto


Veja esta e outras noticias em: HoqueiPT

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...