Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Benfica descansou cedo e só acordou com um susto

Benfica descansou cedo e só acordou com um susto
O Benfica conseguiu um precioso triunfo por 5-8 em Oliveira de Azeméis. Ao intervalo o jogo parecia ganho para as águias e a certa altura da segunda p...

O Benfica conseguiu um precioso triunfo por 5-8 em Oliveira de Azeméis. Ao intervalo o jogo parecia ganho para as águias e a certa altura da segunda parte parecia perdido. Mas os encarnados acabaram por ser mais esclarecidos na recta final e garantir três importantes pontos.

O Benfica visitou a Oliveirense consciente de que jogava num palco determinante na caminhada para o título e teve uma primeira parte praticamente irrepreensível. Inaugurou o marcador aos 10 minutos - por João Rodrigues, no único dos oito golos encarnados que não teve influência directa de Carlos Nicolía - e chegou ao intervalo a vencer por 0-5, com Nicolía a bisar nos golos e nas assistências, uma para López, outra para Diogo Rafael.

Guillém Trabal evita o que seria o sexto e a reviravolta da Oliveirense

A partida parecia sentenciada e mais se acentuou essa sensação quando Gonçalo Alves - que já tivera uma oportunidade na primeira parte - e Montivero desperdiçaram de livre directo a oportunidade de reduzir. Trabal somava defesas seguras a outras aparentemente impossíveis e o nulo da Oliveirense teimava no marcador.

Mas o Benfica foi displicente. Descansou na vantagem ganha e deu espaço a Gonçalo Alves na área, que desta feita não perdoou e, justificadamente, festejou como se tivesse encontrado o mapa para um tesouro que Trabal guardava. O tento de Gonçalo Alves, conseguido aos cinco minutos, esteve sozinho no marcador mais sete.

Gonçalo Alves festeja o terceiro da Oliveirense, de picadinha

Com os jogadores encarnados a depositarem confiança no tempo como seu aliado e a acreditarem cada vez menos numa "remontada" adversária, Gonçalo Alves e Albert Casanovas uniram esforços e levaram a Oliveirense à igualdade com quatro golos em pouco mais do que três minutos. O catalão marcou de grande penalidade e livre directo, com o português a marcar pelo meio, numa espectacular picadinha, e a assistir primorosamente para o 5-5 pelo seu companheiro.

Meio minuto depois de restabelecida a igualdade, a Oliveirense dispunha de mais uma grande penalidade. Pedro Nunes conseguiu aí o desconto de tempo e chamou a si os jogadores. As palavras do técnico terão tido o seu quê de magia…

Albert Casanovas prepara o remate para o quarto da equipa da casa

Chamado a nova bola parada, Albert Casanovas - que já batera o ex-companheiro e colega Guillem Trabal de livre directo e grande penalidade - permitiu a defesa. O Benfica impôs então o seu ritmo de jogo… Os três minutos alucinantes da Oliveirense deixaram marcas num plantel mais curto e os encarnados voltaram a adiantar-se já nos cinco minutos finais, com Nicolía a assistir Carlos López. Os anfitriões procuraram reagir mas faltaram pernas e discernimento. Com a 15ª falta a dois minutos do fim, a Oliveirense perderia a possibilidade de igualar com um golo - Nicolía fez o 5-7 e colocou a diferença em dois - e perderia Gonçalo Alves, azulado por palavras.

A 20 segundos do fim, Nicolía - a fechar um pecúlio de três assistências e quatro golos - fechou com elevada nota artística a contenda, surgindo isolado para uma picadinha sobre Puigbi.

Benfica festeja o sexto golo, que quebrou a reacção da Oliveirense

A jornada

Com esta tão preciosa quanto difícil vitória, o Benfica soma agora 58 pontos e manteve a vantagem de três pontos sobre o Porto, que venceu em São João da Madeira por 1-7. A Oliveirense registou a sua segunda derrota na era Tó Silva - a primeira acontecera também em casa e para o campeonato com os azuis-e-brancos - e foi apanhada na classificação, com 39 pontos, pelo Valongo, que venceu no Pico por 6-7.

Na luta directa pelo quinto lugar, o Barcelos venceu o Sporting por claros 5-1, ultrapassou os leões na classificação e tem o terceiro lugar a apenas dois pontos.

A fechar a primeira metade da tabela continua o Turquel, que venceu o lanterna vermelha Póvoa por 8-4. A equipa da Aldeia do Hóquei soma 29 pontos, mais três que Juventude de Viana e Paço de Arcos. Depois de muita contestação ao técnico Pedro Sampaio, a Juventude de Viana deu uma boa resposta e voltou às vitórias nos Carvalhos (3-8), enquanto o Paço de Arcos venceu Os Tigres por 5-2.

Na luta pela manutenção, os cinco últimos perderam e mantiveram distâncias. Candelária e Os Tigres estão respectivamente cinco e dois pontos à frente dos Carvalhos, primeira equipa nos lugares de descida. Fecham a classificação Sanjoanense e Póvoa, a um e quatro pontos da equipa dos Carvalhos.



Veja esta e outras noticias em: HoqueiPT

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...