Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Barcelona reencontra a sua 'besta negra', Voltregà

Barcelona reencontra a sua 'besta negra', Voltregà
A segunda meia-final da Taça do Rei colocará o Barcelona frente-a-frente com a única equipa que o logrou vencer esta época: o Voltregà. Claramente fav...

A segunda meia-final da Taça do Rei colocará o Barcelona frente-a-frente com a única equipa que o logrou vencer esta época: o Voltregà.

Claramente favorito, o Barcelona teve esta sexta-feira um jogo à Taça do Rei, com emotividade até final, frente ao recém-promovido Alcoy.

Mas a partida não podia ter começado melhor para os blaugrana da cidade condal e que nesta partida actuaram de laranja. Logo aos sete segundos, Pablo Alvarez inaugurou o marcador. Se a táctica do Alcoy passava por segurar o nulo muito tempo, saiu completamente furada. No entanto, os pupilos de Diego Mir não baixaram os braços e Pere Cañellas restabeleceu a igualdade aos sete minuto e, ainda que pouco depois Matías Pascual recoloca-se o Barcelona na frente, os jogadores do Alcoy foram acreditando cada vez mais na surpresa.

Formatje e Sergi Fernandez em duelo

A etapa complementar mostrou um Barcelona por vezes desorientado e a merecer o susto por que passou no minuto final. Panadero apontara o 3-1 já nos derradeiros três minutos mas Ferran Formatje, num grande golo, voltou a reduzir para a diferença mínima. Faltavam jogar 25 segundos e Diego Mir arriscou com cinco jogadores de pista. Mas o empate e o prolongamento, que seriam um justo prémio para este destemido Alcoy, não chegariam.

No final da partida, Ricard Muñoz reconheceu as dificuldades. "Foi uma partida complicada, uma partida muito difícil diante de um Alcoy que esteve a um grande nível", afirmou. "Marcámos e quisemos recuar um pouco e eles aproveitaram. O empate afectou-nos e creio que as forças se igualaram muito até ao intervalo", analisou. "Na segunda parte tivemos oportunidades mas não conseguimos marcar e sofremos muito até ao último segundo", admitiu, com Sergi Panadero a explicar. "São os quartos da Taça do Rei e tem que se saber sofrer", vincou.

Uma vitória difícil.

Diego Mir conseguiu parte do protagonismo que reclamava da sua equipa. "Creio que começámos muito nervosos e com muitas precipitações. O primeiro golo foi um bocadinho fora do plano que trazíamos", reconheceu, elogiando o crescimento da sua equipa ao longo dos 50 minutos. "À medida que foram passando os minutos a equipa ganhou confiança e solidez e tivemos a tranquilidade para controlar as acções ofensivas do Barça", enalteceu. "Mostrámos porque estamos aqui e isto é o desporto. Alguém tinha de perder e tocou-nos a nós, mas fomos protagonistas deste jogo", destacou, remetendo para as suas declarações na antevisão a esta Taça do Rei.

Ferran Formatje, autor do golo que relançou a partida nos segundos finais, queria mais. "É muito difícil eliminar o Barça mas vínhamos com essa ideia", confessou.

Reus aquém de tanto querer

No segundo jogo dos quartos-de-final de dia, Reus e Voltregà discutiam quem seria o adversário do Barcelona nas meias-finais.

Os azuis-e-brancos de Voltregà levaram consigo grande parte de uma povoação que não chega às 3600 pessoas e, fazendo jus a um ambicioso discurso de vitória, adiantaram-se ainda não estavam cumpridos dois minutos e ampliaram aos sete para não mais perderem a liderança da partida.

Coy marcou um golo, mas foi insuficiente

O Reus reduziu por Marc Coy para 1-2 ainda na primeira parte e por Jepi Selva para 2-3, este já depois de Dani Rodriguez ter apontado o terceiro para o Voltregà aos quatro minutos da etapa complementar. A meio desta segunda parte, Eric Vargas - um dos melhores em rinque - desferiu o golpe final com o 2-4 que perduraria até ao derradeiro apito.

O Reus foi o único cabeça de série que ficou pelo caminho nos quartos-de-final

O treinador "rojinegro", Alejandro Dominguez, estava conformado. "Fomos penalizados pelos dois primeiros erros que cometemos", realçou, louvando o jogo do Reus. "Creio que fizemos um jogo digno até final e que fizemos um bom jogo. Defendemos muito bem mas é muito difícil conte-los. São uma equipa que joga muito bem no um-contra-um e na saída dos bloqueios", explicou.

Voltregà e os seus adeptos

O guarda-redes Roger Molina aponta alguma injustiça no desfecho, onde pesou a eficácia. "Fomos um pouco superiores na fase de ataque, construímos muito mais. Mas eles marcaram e nós não", constatou. "Não creio que o 0-2 nos tenho condicionado. Fomos maduros, estivemos muito concentrados, muito fortes mentalmente. Jogámos um hóquei atractivo e fizemos as coisas bem, temos de estar orgulhosos", realçou.

Barcelona e Voltregà já se defrontaram duas vezes esta época. Na primeira volta, o Voltregà perdeu 6-2 no Palau mas, na segunda volta, em Sant Hipólit, o Voltregà venceu 1-0, com Dani Rodriguez a marcar o golo solitário.

A segunda meia-final da Taça do Rei está agendada para as 21h45 deste sábado.

Jogos relacionados

FC Barcelona 3 : 2 27 Fev 18h30 PAS Alcoy
Reus D 2 : 4 27 Fev 21h00 CP Voltregà


Veja esta e outras noticias em: HoqueiPT

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...