Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Hat-trick do capitão e um tremendo susto

Hat-trick do capitão e um tremendo susto
O Benfica garantiu a conquista de três difíceis pontos em Paço de Arcos com uma vitória por 4-5. Paço de Arcos nunca é um terreno fácil para o Benfica...

O Benfica garantiu a conquista de três difíceis pontos em Paço de Arcos com uma vitória por 4-5.

Paço de Arcos nunca é um terreno fácil para o Benfica. Que o diga Pedro Nunes que, à frente da equipa da Linha, roubou preciosos pontos aos encarnados.

Cada uma das equipas apresentou cinco jogadores que já vestiram a camisola do adversário. João Rodrigues, Tiago Rafael, Miguel Rocha, Valter Neves e Pedro Henriques já jogaram pelo Paço de Arcos e Guilherme Silva, Miguel Dantas, Diogo Neves, João Beja e João Pedro Pais já actuaram de águia ao peito.

As equipas entraram em rinque com surpresas no cinco. No Paço de Arcos, o jovem Guilherme Silva foi titular, enquanto no Benfica entrava Tiago Rafael.

Numa primeira parte que teve sempre um ritmo muito alto, o Paço de Arcos dispôs aos cinco minutos da primeira oportunidade soberana mas Rui Pereira não conseguiu repetir o feito da primeira volta frente a Trabal, e desperdiçou a grande penalidade. A equipa de Paulo Garrido foi quase sempre mais perigosa ao longo dos primeiros 25 minutos, construindo as melhores oportunidades, mas esbarrando em Guillem Trabal.

Valter. O capitão encarnado não foi titular mas entrou para assinar três golos

O Paço de Arcos não marcou e acabaria por sofrer. Os encarnados chegavam ao intervalo a vencer fruto de um golo solitário de Nicolía, num remate rasteiro a surpreender Carlos Coelho. A desvantagem era um castigo em particular para Rui Pereira e Miguel Dantas, protagonistas de boas exibições mas perdulários frente ao guardião catalão do Benfica.

No entanto, a eficácia que faltou aos visitados antes do intervalo, sobrou logo após. No primeiro lance da etapa complementar, Nelson Ribeiro repôs a igualdade. Pedro Nunes não tardou em fazer regressar o experiente Carlos Lopez e o Benfica assentou o seu jogo, baixando o frenético ritmo que vinha desde o apito inicial. As águias eram pacientes no ataque e esperavam o erro adversário, que acabaria por surgir.

Guilherme. O internacional jovem bisou frente ao seu clube

Quem melhor aproveitou os erros adversários foi o capitão Valter Neves, marcando por três vezes entre o minuto nove e o minuto quinze, com um golo de Carlos Lopez pelo meio. O 1-5 com 10 minutos para jogar parecia suficiente para os encarnados descansarem nos minutos finais mas o Paço de Arcos não baixou os braços. E os seis minutos finais foram complicados para o líder da classificação.

Estebán Abalos viu o azul num lance desnecessário com João Beja e acendeu o rastilho da reacção do Paço de Arcos e, em particular, de Guilherme Silva e Diogo Neves, dois jogadores emprestados… pelo Benfica. Na transformação do livre directo, Guilherme não bateu Trabal mas, na insistência, reduziu para 2-5. Volvido minuto e meio, após a 10ª falta do Benfica, Guilherme não teve a mesma felicidade mas o Paço de Arcos continuou a pressionar e a rematar muito. Com três minutos para jogar, Diogo Neves fez, num remate rasteiro cruzado, o 3-5. E, pouco depois e de muito longe, Guilherme Silva reduziu para a diferença mínima.

Trabal. Nos instantes finais valeu ao Benfica o guarda-redes catalão

Faltavam dois minutos e meio e era o tudo-por-tudo da equipa da casa. Valeu ao Benfica o guarda-redes Guillem Trabal a não quebrar com os golos sofridos e a protagonizar um punhado de intervenções determinantes. Nos instantes finais da partida, Nicolía não conseguiu marcar de livre directo – 10ª falta do Paço de Arcos – e já não havia tempo para mais.

No final da partida, o treinador Paulo Garrido destacou o crer da sua equipa que mereceria ser recompensado com pelo menos um empate. Do lado do Benfica, o capitão Valter Neves sublinhou a importância de mais três pontos.

Óquei sobe ao quarto lugar

No completar da 18ª jornada, o Porto manteve a distância de três pontos para o Benfica, com uma vitória – tranquila – por 2-10 nos Carvalhos. A fechar o pódio segue a Oliveirense, que venceu por claros 9-0 a Sanjoanense.

O grande vencedor da jornada foi o Óquei de Barcelos, que bateu o campeão nacional Valongo por 7-5 e se isolou no quarto lugar, a dois pontos da Oliveirense. Os galos ultrapassaram na classificação o próprio Valongo e o Sporting, que perdeu dois pontos frente ao lanterna vermelha Póvoa num empate a duas bolas.

Em sétimo segue agora isolado o Turquel que, com a vitória por 8-2 sobre Os Tigres, largou a companhia de Paço de Arcos e Juventude de Viana. A equipa de Viana viajou até ao Pico e foi de forma algo surpreendente, dado o campeonato das duas equipas, derrotada pela Candelária por 4-1.

Na luta pela manutenção, só o Póvoa pontoou. Pese os poveiros não terem largado a lanterna vermelha, estão agora a apenas um ponto dos Carvalhos e a três de Tigres e Sanjoanense.

Jogos relacionados

CD Paço de Arcos 4 : 5 11 Fev 20h00 SL Benfica


Veja esta e outras noticias em: HoqueiPT

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...