Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Cinco contra cinco, no final Vence AP Lisboa

 Cinco contra cinco, no final Vence AP Lisboa
AP Lisboa venceu mais uma edição do Inter-Regiões

Podemos pegar na ideia do léndário internacional inglês, Gary Lineker, que afirmava que «o futebol são onze contra onze e, no final, ganha a Alemanha» e transportar para os dois ultimos Torneios Inter Regiões e afirmar que «o hóquei são cinco contra cinco e, no final ganha Lisboa», e assim aconteceu esta tarde no Municipal da Mealhada e Lisboa sagrou-se bi-campeã.

 

Foto: Carlos Emídio Martins - Plurisports


A equipa Alfacinha repetiu o feito do ano passado e saiu da Capital dos Leitões com o 1º lugar na algibeira. No jogo da final frente à equipa da casa, curiosamente a mesma que havia defrontado na noite de ontem e perdido por 2-1, demonstrou ser a melhor equipa em prova venceu por 2-0. Sob a batuta de Gonçalo Nunes, a equipa de Fernando Luís inaugurou o marcador com pouco mais de 5' minutos para jogar na 1ª parte. Antes do intervalo aumentou para 2-0. A demonstrar mais maturidade que o adversário a selecção de Lisboa controlou bem o 2º tempo, deixou correr o cronometro e aumentar a ansiedade dos Aveirenses que não conseguiam contariar o adversário e assim chegou o final e a vitória no Torneio.

 

Foto: Carlos Emídio Martins - Plurisports


Para o 3º e 4º lugar, Minho e Alentejo que havia perdido frente aos finalistas durante a manhã, em jogos que se por um lado o Minho foi derrotado por Aveiro (4-2), o Alentejo, equipa sensação da prova jogou de igual para igual com Lisboa e não fosse Paulo Rainha, qual Luís Matos "tirar um penalty da cartola" e o resultado poderia ter sido diferente do 3-2 final favorável a Lisboa. Mas no jogo propriamete dito, acabou por ser muito equilibrado, com o Minho a tentar "vingar" a derrota da fase de grupos. A equipa Alentejana inaugurou o marcador, mas o Minho que não acusou o golo sofrido viria a empatar antes do intervalo. A 2ª parte manteve o mesmo cariz com a equipa de Quim Zé a tentar a vitória num jogo mais apoiado e pensado ao passo que a equipa de Mané Castilho em jogo mais directo tentava chegar à vantagem. Seria a equipa do Minho a conseguir o golo da vitória a pouco mais de 5 minutos para o final e assegurar o ultimo lugar do pódio. A equipa Alentejana conseguiu a melhor classificação de sempre, o 4º lugar, mas fica um amargo de boca, pois os "moçoilos" de Mané Castilho mostraram hóquei para estarem no minimo na final.

 

Foto: Carlos Emídio Martins - Plurisports


O jogo de atribuição do 5º e 6º lugar, trouxe um "cliente" pouco habituado a este tipo de jogos, ou seja o Porto que geralmente acaba em lugares do pódio, a jogar contra Leiria, uma partida algo monotona, com os jogadores a cumprir calendário. O intervalo chegou com um nulo no placard e só na segunda parte e apenas e só por uma vez se gritou golo e com sotaque nortenho. O Porto garantiu a 5ª posição, uma das piores senão apior classificação de sempre, ao passo que Leiria com este 6º lugar fica também algo abaixo do que nos tem habituado nestes torneios.

 

Foto: Carlos Emídio Martins - Plurisports


Ribatejo e Setubal disputaram o 7º e 8º lugar, e a equipa de Setúbal entrou melhor e chegou à vantagem, mas a equipa Ribatejana à procura da 1ª vitória no Torneio chegou ao empate. Setubal continuou a aaproveitar os erros da equipa de João Santos e chegou de novo à vantagem, vantagem que seria anulada pela equipa Ribatajana, mas que Setubal teimosamente voltou a alterar e chegou ao intervalo a vencer por 3-2. A 2ª metade da partida trouxe apenas um golo, golo esse para a selecção da Leziria, e com 3-3 chegou o fim do tempo regulamentar. O prolongamento de 5 minutos dividido em duas partes de 2 minutos e meio sem intervalo não trouxe nada de novo e seria da marca de penalti que o Ribatejo mais eficaz conseguiu a vitória e a 7ª posição.

 

Foto: Carlos Emídio Martins - Plurisports


Para atribuição do 9º e 10º lugares, Açores e Coimbra defrontaram-se num jogo aberto onde não havia nada a perder, apenas o fugir ao ultimo lugar. Entrou melhor Coimbra que se foi distanciando no marcador, mas sempre com a equipa Insular inconformada e a correr atrás do prejuízo, mas sem conseguir fazedr frente à melhor "performance" adversária. A  2ª parte e com Diogo Brantuas a dar hipoteses a todos os seus atletas de jogarem, foi a equipa de Herberto Resendes a ser melhor em pista e a levar a incerteza do resultado até ao final. Vitória de Coimbra por 6-5 num jogo agradável de se assistir e onde ficou provado mais uma vez que se os atletas Açorianos tivessem uma competição igual à dos atletas Continentais "outro galo cantaria" e outra classificação surgiria.

Para finalizar fica o cinco ideal desta 37ª edição do Inter-Regiões

  • Tiago Rodrigues (GR) - AP Aveiro
  • Gonçalo Nunes - AP Lisboa
  • Rafael Lourenço - AP Lisbos
  • Hugo Barata - AP Porto
  • Gonçalo Meira - AP Minho

 



Fonte: Francisco Gavancho / Cartão Azul

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...