Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Reportagem

Sérgio Silva: "Jogo até as pernas me deixarem!"

Sérgio Silva:
Defesa/médio foi o segundo melhor marcador do Benfica e determinante para a conquista do título nacional, principalmente no empate com o FC Porto. Aos 38 anos, o hoquista não pensa em pendurar os patins...

Em 2001, o Óquei de Barcelos sagrou-se campeão nacional, naquele que foi o último título dos barcelenses. Dessa equipa fazia parte Sérgio Silva. A seguir, iniciou-se um ciclo de dez campeonatos consecutivos ganhos pelo FC Porto parado este ano pelo Benfica, com uma contribuição decisiva de ... Sérgio Silva.

"Fui o último campeão antes de eles começarem essa caminhada e consigo ser o primeiro a acabar com o ciclo de vitórias do FC Porto. Estou extremamente satisfeito", confessa, a O JOGO, o defesa/médio, considerando justo o triunfo encarnado: "Fizemos um excelente campeonato. Só perdemos sete pontos ao longo de toda a prova, por isso não vale a pena tentar arranjar outras coisas."

No princípio deste mês, Sérgio Silva completou 38 anos. Mas a idade parece não pesar no hoquista, atendendo à genica que demonstra dentro do rinque. Na hora de comemorar o título, lançou um recado àqueles que duvidaram da sua qualidade para jogar na formação da Luz. "Para quem era um velho acabado, penso que conseguiu ajudar o Benfica a conquistar um dos seus objetivos. Faltam outros", sublinha, destacando a profundidade do plantel e a mescla de juventude e experiência: "Temos dez jogadores ao mesmo nível. Penso que foi essa uma das nossas forças. Uns são jovens com umas características, outros são experientes com outras características. Esses fatores fazem parte de uma equipa e só temos a ganhar com isso."

A importância deste jogador natural de Alverca foi visível sobretudo nos golos que marcou. No total, foram 34 - o segundo melhor marcador da equipa, atrás de Luís Viana, com 42 tentos -, sendo que o golo que marcou ao FC Porto na penúltima jornada valeu um ponto precioso na conquista do título. "Não vou negar que na altura que marquei o penálti senti que aquele golo seria importante. Mas costumo dizer que ninguém ganha sozinho. Até se pode ganhar um jogo, mas não campeonatos", enaltece

Não confirma ida para o Valdagno

Tudo indica que Sérgio Silva vai representar o Valdagno na próxima temporada, o que será um regresso a Itália, depois de já ter representado o Follonica e o Bassano. O número 33 do Benfica não confirma, mas dá a entender que deve abandonar a Luz. "Não quero falar sobre isso agora, porque tenho contrato até 30 de junho e mais uma competição para ganhar. Depois, vão saber o meu destino", garante o defesa/médio, que fez parte da seleção campeã mundial em 2003.

"Jogo até as pernas me deixarem"

O amor de Sérgio Silva pelo hóquei em patins é contagiante e é notório pela sua postura do rinque. Nunca dá uma jogada por perdida e festeja efusivamente cada golo que marca. Por isso, pendurar os patins não está nos seus planos. "Enquanto me divertir e gostar daquilo que tenho até agora, vou continuar. Gosto de jogar hóquei e daquilo que faço dentro do rinque. Fiz 38 anos há uma semana e penso que ainda tenho capacidade para continuar a jogar até as pernas me deixarem", refere, esperando que a sua experiência tenha ajudado os jogadores mais jovens do plantel a evoluir. "Tentei ajudar ao máximo os meus colegas com aquilo que pude e também procurei ajudar o treinador. Penso que o fiz na maior parte das vezes."

O jogador ficou cativado pela mística do Benfica e pelos adeptos, por isso a sua principal dedicatória pelo título conquistado vai para eles. "Estes benfiquistas merecem festejar este título, porque nos acompanharam sempre e estiveram em Almeirim a apoiar-nos. É justo que possam festejar. De resto, são tantas as pessoas que contribuíram para que este título acontecesse, quer dentro do clube, quer fora do clube", destaca.

Jornal O Jogo

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...