Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

SL Benfica ainda não é campeão de hóquei em patins...

SL Benfica ainda não é campeão de hóquei em patins...
Depois de muitos adeptos Benfiquistas terem festejado a conquista do 22º título nacional de hóquei em patins alcançado, esqueceram-se que ainda decorre um protesto interposto pelo FC Porto, ao qual ainda não existe resposta...

O SL Benfica terminou o Nacional da 1ª divisão de hóquei em patins na primeira posição depois de ter vencido no reduto do HC “Os Tigres” (1-4), em partida da 30ª e última jornada da competição. O FC Porto, que esperava por um deslize do líder para alcançar a liderança, goleou (10-4) o Candelária SC e continua com menos 1 ponto do que a turma lisboeta.

As contas do título de campeão ainda não estão decididas, uma vez que decorre um protesto interposto pelo FC Porto (aquando do “clássico” da ronda 29), sendo que a homologação do campeonato está dependente da Decisão do Conselho de Disciplina da Federação de Patinagem de Portugal.

Nos restantes duelos da última ronda, destaque para o triunfo (3-7) da UD Oliveirense na visita ao HC Braga. Nos outros encontros, exceptuando o empate (3-3) entre Riba d’Ave HC e ACR Gulpilhares, prevaleceu o “factor casa” com OC Barcelos a bater (6-5) a AE Física D, o CD Paço de Arcos a vencer (3-2) a AA Espinho e a AD Valongo a golear (11-2) o CI Sagres.

AJ Viana, CI Sagres e Riba d’Ave foram despromovidos à 2ª divisão.

Texto: FPP

Comentários

  • jota [Não autenticado | IP: 2.80.xxx.xxx]: Então a Juv. Viana, Inf. Sagres e Riba d'Ave ainda não estão despromovidos, visto que o campeonato ainda não está homologado...

  • Joao [Não autenticado | IP: 188.80.xxx.xxx]: Esse foram despromovidos porque já não restam "oportunidades"....

  • Rafael Oliveira: Amigo Pedro, ao contrário do que é sugerido neste artigo, o Benfica é campeão nacional, sim senhor, chegou ao fim do campeonato com um ponto de avanço do 2º classificado e por isso é campeão, o título está dependente de ser homologado e não de um protesto, um protesto só por si nada vale e não retira o título a ninguém, muito menos se esse protesto for vazio de fundamentos, como é o caso, pois no caso do penalti, nunca houve nenhuma dúvida da razão do arbitro que controlava a area ter apitado, pois a razão foi um jogador do Porto ter saído da dita àrea em 1º lugar, se fosse um jogador do Benfica, daria razão a uma repetição, como foi um jogador do Porto, repetir seria beneficiar o infractor, logo só podia dar origem a uma falta contra o Porto, se o outro arbitro não percebeu logo a razão do colega ter apitado e tivesse pensado que era para repetir, pode acontecer, mas isso não vincula o arbitro, até porque quando percebeu, encaminhou o lance para o lugar da falta, 2º, nenhum jogador do Porto fala correctamente com nenhum arbitro, muito menos Reinaldo Ventura, foi expulso por 2 minutos por palavras indecorosas para com o àrbitro, logo dizer que agiu correctamente como se fosse menino do coro e que foi expulso por ter dito que queria protestar, é falso, 3º, a questão do tempo de jogo é outra brincadeira, pois o relógio que aparece na televisão, nada tem a ver com o cronómetro da mesa de jogo, o da televisão é meramente indicativo e vale tanto como o relógio de pulso de qualquer um espectador e caso houvesse algum problema que pode acontecer e o relógio oficial não tivesse parado, seria rectificado na hora, caso o problema na realidade tivesse existido. Portanto repito, um campeonato nunca está dependente de um protesto, mas sim de uma homologação, logo para todos os efeitos o benfica ganhou o campeonato embora até a sua homologação, de forma oficiosa, como acontece todos os anos. Registo aqui a preocupação de querer agradar a gregos e a troianos, coisa impossível, acredito que hajam até ameaças para que este artigo tivesse sido escrito, perdoa-me se me engano e mais ainda, ninguem do Benfica se esqueceu que o Porto protestou o jogo, no Benfica, acredita-se é na verdade desportiva, mesmo sabendo que às vezes anda arredada como ainda o ano passado na Candelária, onde se assistiu à roubalheira do século, os benfiquistas, concerteza que acreditam que a verdade venha ao de cima e não valorizam por isso, os protestos habituais demonstrativos de quem não sabe perder. Os benfiquistas não se esqueceram de nada, festejaram foi uma grande vitória, conseguida dentro da pista a jogar hóquei em patins, aquilo que devia de ser a prioridade de todos os agentes envolvidos e principalmente aqueles que têm mais responsabilidades porque são os mais acompanhados, como são os clubes grandes e todos aqueles que suscitam mais atenção, embora a dignidade e a verdade a par da verticalidade não seja coisa só para alguns, deve ser de todos, embora se saiba que é daquelas coisas que ou se tem ou não se tem, e alguns de facto não têm e por isso protestam mesmo que sejam protestos descabidos, Não homologar o campeonato ao Benfica, isso sim seria uma falácia e isso sim seria esquecer todos os valores que devem nortear a práctica desportiva e uma competição, como é o caso, subvertendo tudo e todos. O Benfica só festejou a conquista do 22º campeonato nacional de hóquei em patins, na pista, ganhando os jogos e sendo mais regular na prova do que os demais adversários.

  • Pedro Alves: Sr Rafael Oliveira, TOTALMENTE DE ACORDO em todos os aspectos, no entanto, se a FPP decidir repetir o jogo da 29ª jornada, terá de ser repetido, embora seja um cenário um pouco «rebuscado»

  • ... [Não autenticado | IP: 82.155.xxx.xxx]: Gostava de saber Pedro Alves porque é que era "rebuscado" repetir o jogo? E já agora onde está a dúvida que faltam 40 segundos ao jogo? Alguém acha que era mesmo pelo cronómetro da televisão que se baseia isso? Ou o cronómetro do pavilhão nunca foi filmado? Enfim...

  • Pedro Alves: Boa noite pessoa típica que vem à net para «meter lenha na fogueira», que gosta de dizer umas coisas, mas não os tem no sitio para dar o nome :).

    Seria «rebuscado» repetir o jogo, porque para repetirem este jogo colocariam em causa a verdade desportiva, por muita razão que o FC Porto tenha, houveram alturas no passado em que alguns jogos foram também protestados, com situações mais evidentes e acabaram «em nada».

    Quanto ao cronometro, caso queira ver no link http://www.mundook.net/news/6696-porto-quer-repeticao-do-classico.html está bem explicito que eles referem-se ao cronometro da BenficaTV!

    O sistema da televisão, conforme o Sr Rafael Oliveira disse, e bem, é um simples sistema de cronometro independente do «oficial» do pavilhão, que é sincronizado manualmente por um operador da televisão.

  • .... [Não autenticado | IP: 82.155.xxx.xxx]: http://www.livestream.com/newchannel/popoutplayer?channel=plurisports_direto&clip=pla_eb48ee8e-a88c-4c05-a22f-84eff99eeb2f&time=2682

    Então para não ser lenha na fogueira faça a contagem manual do tempo a partir do minuto 47.13 do video altura em que aparece pela ultima vez o cronómetro do PAVILHÂO! Há 4 paragens de jogo e em todas se vê o recomeço mas eu dou-lhe o benefício da dúvida e margem de erro em 5 ou 10 segundos! Depois ouça a reporter da Benfica TV um segundo antes do penalty que se calhar se estava a guiar pelo cronómetro viciado...

    E gosto muito desse conceito de verdade desportiva do género de justiça poética. Se foram favorecidos no passado que sejam prejudicados no presente. Ao menos assim mostram o verdadeiro estado de espírito dos "agentes do hoquei" acima referidos. Compreendo e até quase que aceito que seja bom para o hóquei que o Benfica ganhe, não sabia é que era a esse custo. Vale que os nossos colegas do FMI, BCE e afins não pensam assim senão Portugal era um país sem futuro....morríamso pelo passado!

  • Pedro Alves: Estive a contar, e realmente existe falha no placard, obrigado pelo esclarecimento. «Se foram favorecidos no passado que sejam prejudicados no presente», logo... o que você está a dizer é para favorecer quem foi favorecido no passado ( relembro o jogo no Candelária por exemplo... onde o FC Porto recuperou MUITO BEM mas existiram algumas falhas na arbitragem, e não deu em nada o protesto... )

  • Pedro Alves: PS: Não entendo é porquê de terem parado o tempo... porque era do interesse do Benfica o empate... não será a favorecer o FC Porto na mesma esta pausa de tempo?

  • .... [Não autenticado | IP: 82.155.xxx.xxx]: O tempo não parou...o tempo andou com o jogo parado! Acho que é visivel não? Se o penalty ocorre a 2.49 do final (vamos aplicar a margem de erro de 5 a 10 segundos que acho mais do razoável) e o jogo recomeça a 2.05 onde é o Porto beneficia disso? Eu só perguntei se o vosso conceito de justiça era esse, não disse que deveriam continuar a beneficiar quem quer que fosse. Acho que deixei claro que as situações devem ser julgadas com isenção. Agora se a sua justificação para que o protesto não seja aceite seja um jogo do Passado..acho que é um bom parâmetro de resolução!
    Quem sabe o Benfica não é prejudicado na próxima época por ter sido favorecido neste jogo e vamos aqui todos dizer que é justo pelo que se passou este ano...

  • Pedro Alves: Está a obrigar-me a pegar no cronometro ai ai :P ( amanhã, se tive paciência vou analisar isso ao milésimo hehe )

    De qualquer das formas, é um ponto de vista, quando se tem um Reinaldo Ventura e um livre direto/grande penalidade para marcar, sou capaz de dizer que em 80% dos casos o Reinaldo Marca, excepto neste jogo... que tinham tudo para ganhar e não ganharam...

  • .... [Não autenticado | IP: 82.155.xxx.xxx]: Faça lá isso e veja que eu tenho razão..;)
    E sim noutras alturas marcou falhou este! Haverá outros igualmente decisivos que irá marcar e que sejam já em setembro em Paredes!

  • Pedro Alves: A ver vamos :)
    PS: Agradeço que no futuro coloque um nome e email válido ( nem precisa de dizer que foi você ^^ ), por acaso «teve sorte» de eu aceitar, pois era pertinente a sua questão / comentário... mas não é normal eu aceitar comentários de emails inválidos.

    Gostei bastante desta troca de ideias! Vocês que estão a ler, qual a vossa opinião sobre este tema?

  • jose mendes [Não autenticado | IP: 188.83.xxx.xxx]: Só gostava de saber porque é que as pessoas estao com tantas artimanhas em relaçao a um jogo. Podem querer que do porto só conheço dois jogadores que sao educados a falar com os arbitros e felismente já privei pessoalmente com eles sao o edo bosh e o nelson filipe os outros quando o resultado ou as faltas nao lhes interessa tratam os arbitros do piorio mas eles infelismente teem medo de lhes mostrar cartoes e quando mostram erraram porque o jogador do porto falou educadamente para os arbitros. Esta epoca o benfica foi a equipa mais regular durante todo o campeonato teve jogos em que foi beneficiado em algum lance pelos arbitros? certamente que sim mas todas as ditas equipas grandes do hoquei o sao e nao me venham dizer que o porto nunca foi beneficiado.Agora sei porque é que o porto quer protestar o jogo é que esta epoca em nenhum dos jogos decisivos os seus arbitros favoritos nao apitaram nenhum e assim nao ganharam. è essa a verdade desportiva que os portistas tanto querem? deixem de quezilias e de incendiar as fogueiras com gasolina e procurem que haja justiça para todos os clubes por igual e preocupem-se isso sim em tentar que a federaçao e as associaçoes baixem as taxas de jogos e de inscriçao das equipas senao daqui por meia duzia de anos vamos ter meia duzia de clubes de hoquei em patins em portugal.

  • João Ferreira [Não autenticado | IP: 94.132.xxx.xxx]: Olá a todos. Venho apenas informar que, segundo as regras do hóquei, se um jogador que não intervém no penalty cometer uma infracção antes do penalty ser marcado, há lugar à repetição do mesmo, independentemente da equipa que a comete. Os jogadores da equipa do infractor ficam avisados e se repetirem a dose, há cartão azul.
    A excepção é, se o penalty já tiver sido marcado. No entanto, a acreditar que foi marcada uma infracção no posicionamento de um jogador do Porto, esta só pode ter ocorrido antes da marcação do penalty, uma vez que os jogadores podem sair da área, mal este é marcado. Portanto, se assim foi, o penalty deveria ter sido repetido.

    Artigo 29º, ponto 7, das regras do hóquei em patins
    http://www.fpp.pt/ficheiros/pdf/hoquei-patins/regras/RegrasJogo09_07.pdf

  • Bruno Ferraz: Não sendo jurista, acho que os regulamentos são faceis de interpretar. Dee qualquer formar o melhor é deixar cá o artigo para que todos possam opinar:
    7.3 Se a infracção ocorrer já depois de iniciada a execução dum PENALTY – a efectuar obrigatoriamente através dum remate directo à baliza
    – os Árbitros Principais devem sempre aguardar pelo resultado dessa acção, assegurando depois os seguintes procedimentos:
    7.3.1 Se um golo for obtido, este terá de ser sempre validado, assegurando depois – mas apenas se há uma reincidência na mesma
    infracção – a sanção disciplinar do infractor e da sua equipa, atento o disposto no ponto 7.2 deste Artigo.
    7.3.2 Não sendo obtido um golo, os Árbitros Principais terão de interromper o jogo de imediato, assegurando depois os seguintes procedimentos:
    a) Se a infracção foi praticada somente por Jogador(es) da equipa que beneficiou do PENALTY, a sua execução não será repetida, sendo o
    jogo reiniciado – depois de efectuada a acção disciplinar definida no ponto 7.2. deste Artigo – com a um LIVRE INDIRECTO contra a
    equipa infractora, a executar num dos cantos superiores da sua área de grande penalidade.
    b) Se a infracção foi praticada somente por Jogador(es) da equipa sancionada com o PENALTY – ou por Jogadores das duas equipas – a sua
    execução terá de ser sempre repetida, logo depois de ser exercida a acção disciplinar definida no ponto 7.2 deste Artigo.

    Penso que o Ponto 7.3.2 a) dá razão aos árbitros! Mas....

  • João Ferreira [Não autenticado | IP: 94.132.xxx.xxx]: Bruno Ferraz, isso aí é claro. A minha dúvida é: como é que pode haver uma infracção no posicionamento após a marcação do penalty? Nota que o ponto 7.3 diz respeito a infracções ocorridas após o penalty. E nessa altura, os jogadores já podiam sair da área...

  • Francisco Franco [Não autenticado | IP: 194.65.xxx.xxx]: João Ferreira, creio que aquilo que se denomina por "execução do penálti" tem o seu inicio logo que o àrbitro que faz a contagem dos 5seg, a inicia, e não no momento em que a bola é impulsionada pelo marcador da grande penalidade. Porque aí sim, os jogadores já podem sair da área.

    Por outro lado o que refere em "se um jogador que não intervém no penalty cometer uma infracção antes do penalty ser marcado, há lugar à repetição do mesmo, independentemente da equipa que a comete." é, em minha opinião, incorrecto. Se é "antes" do penálti ser marcado então não pode haver lugar à repetição de uma coisa que não ocorreu.

  • Miguel Policarpo [Não autenticado | IP: 79.168.xxx.xxx]: Tudo isso é uma confusão a começar pela própria lei.
    Uma lei nunca pode beneficiar o infrator, isto é existe uma marcação de um penalty que tem de ser remate directo, se um jogador da equipa que for a marcar a penalty sair antes do tempo e essa saida pode ser de decimas de segundo, se o colega falhar e mesma for repetida, então está a benefeciar o infrator.
    Se isto for verdade, eu como teinador vou começar a dizer a um jogador meu, que na primeira marcação tem que sair sempre antes do remate, porque se não for golo, o árbitro tem repetir.
    Se tivermos atentos, a lei no ponto 7.3 , não é clara, porque diz Se infracção iniciar se já depois de executada, não percebendo eu muito de leis mas percebendo de portugues, isto quer se o penalty já foi executado, logo os jogadores já podem sair, logo não existe nehuma falta. Era bom que isto fosse esclarecido para bem do hoquei.
    não nos podemos esquecer que num segundo um jogador de hoquei no arranque pode deslocar-se no minimo 5 mts. No atletismo um atleta corre em cada segundo 10 mts.
    POr isso uma saida antes do tempo por mais pequena que seja pode significar uma vantagem. No jogo do Benfica contra o Valdagno. nos penlties marcados pelo Valdagno, o jogador que s marcou falhou sempre, e marcou na recarga, principalmente porque o primeiro jogadaor que apareceu na area foi sempre um colega de equipa.

  • Miguel Policarpo [Não autenticado | IP: 79.168.xxx.xxx]: Francisco Franco, execução conforme diz lei no ponto 7, é quando a bola é tocada pelo jogador que vai marcar o penalty ou o livre directo. Os jogadores só podem sair dentro da outra area ou o GR da sua posição depois da bola ser tocada.
    Em teoria as infracções que poderão existir, são entre o árbitro levantar o braço e dar ordem de marcação e o jogador tocar na bola que pode ir ate 5 seg. Porque para o árbitro levantar o braço, todos tem que estar nas suas posições.
    Depois disso é tudo muito complicado, ou sai o GR antes de tempo, ou jogador marcador faz uma simulação, ou sai dentro da area algum jogador.
    Venho o diabo que com esta lei e conforme está escrita nem ele se livra de ir para o inferno

  • alberto [Não autenticado | IP: 193.137.xxx.xxx]: Rafael Oliveira Mas os dois roubos este ano do benfica com o candelária conseguem superar o do FCP.

  • Francisco Franco [Não autenticado | IP: 194.65.xxx.xxx]: Miguel Policarpo, o que a lei no ponto 7.3 refere não é "Se infracção iniciar se já depois de executada", mas sim "Se a infracção ocorrer já depois de iniciada a execução dum PENALTY".
    Ora o início da execução de um penalty é, no meu entendimento, quando começa a contagem dos 5 seg através da sinalética do árbitro.
    A lei, na minha opinião, não beneficia o infractor porque diz claramente que se o penalti for falhado e quem tiver saído da área oposta à da marcação da penalidade, já depois do início da execução do penálti, for um colega da equipe do marcador do penálti, o mesmo não é repetido. Diz isso em 7.3.2 a)

  • Francisco Franco [Não autenticado | IP: 194.65.xxx.xxx]: Miguel Policarpo, creio que se refere ao ponto 7 do artigo 29º, correcto? diga-me onde é que diz então isso que refere "execução conforme diz lei no ponto 7, é quando a bola é tocada pelo jogador que vai marcar o penalty"?

    Quando ao timming para uma saída válida de dentro da àrea dos outros jogadores estamos de acordo: é só quando a bola é impulsionada pelo marcador do penálti.

    A questão é: quando é que se inicia a execução do penálti? é quando a bola é impulsionada pelo seu marcador? é quando esse marcado levanta o stick para trás para dar o balança á marcação do penálti? e se ele já tiver o stick no ar e só o fizer descer?
    O meu entendimento é que aquilo que é definido como o momento do início da execução de um penálti é quando o árbitro levanta o seu braço esquerdo e com o direito inicia a contagem dos 5seg (se for destro, claro, eh eh eh). E daí até à bola ser impulsionada podem demorar de 1 a 5 seg. E é nesse tempo que os jogadores que sairem de dentro da área se sujeitam á lei no sei artigo 29º, ponto 7.3

    Agora, concordo que a forma como a lei está escrita não é de interpretação fácil. E se calhar bastava só estar lá inequivocamente escrito o que é que se entende por "início da marcação de um penálti", para clarificar tudo.

    É a minha opinião, vale o que vale.

  • carlos [Não autenticado | IP: 188.80.xxx.xxx]: Pessoal no meu entender a lei é clara, depois dos árbitros darem ordem para marcar o penalty e iniciarem a contagem ninguém pode sair da área até que o jogador remate à baliza. se os jogadores saírem antes do tempo da area o arbitro tem duas soluções; se for um jogador da equipa que beneficiou do penalti a sair antes do tempo, o arbitro espera até o jogador rematar e se ele falhar não há repetição do penalti, não tinha lógica beneficiar o infractor; se for um jogador da equipa que provocou o penalti, o arbitro espera que o jogador marque e se ele falhar só ai e que à direito a repetição do penalti, se só ocorrer esta infracção durante e marcação do mesmo.

    Eu não tive a possibilidade de ver o jogo em directo, mas já vi as imagens da polémica. na marcação daquele penalti há no mínimo outra infracção, pela qual o arbitro iria mandar repetir e bem o penalti, mas como o outro veio conferenciar, eles erraram. o Guarda redes do Benfica esta claramente apoiado no chão com a luva que segura o stick muito antes do Reinaldo marcar o penalti, logo esta infracção anula a saída do jogador do porto antes do tempo. outra coisa que me fez confusão foi o arbitro que se encontra na área do Benfica, no momento da marcação do penalti estar a olhar para a outra área, onde supostamente tem o outro arbitro para controlar.
    mas destes árbitros nada me surpreende, desde que já os vi a decidirem-se por um golpe duplo numa jogada onde a bola estava solta dentro da baliza e um jogador da equipa que beneficiou retirar a bola de dentro da baliza à frente deles. por isso acho que foi uma arbitragem ao nível deles.

    Relativamente ao outros argumentos que o porto reclama, as imagens falam por si, e tanto no cartão azul do Reinaldo, como no tempo dá para tirar conclusões das imagens da benfica tv. é claro que o cronometro continuou a rolar durante aquela confusão toda, bem como, é claro que na altura que o Reinaldo leva o azul está a dirigir-se para o banco a pedir para protestar o jogo, se ele antes tratou mal o arbitro, que é muito normal, não dá para ver.

    Por isso, não me escandalizava nada que o jogo fosse repetido.

  • Miguel Policarpo [Não autenticado | IP: 79.168.xxx.xxx]: Depois desta discussão construtiva, decidi e ir ler o artigo todo, talvez assim consiga entender melhor o espirito da Lei.
    Assim no ponto 2 regulamenta os procedimentos que o árbitro deve ter Aquando da Execução do Penalty e do Livre Direto
    «2.1-O jogador executante do penalty ou do livre direto dispõe dum máximo de 5 segundos para, com a bola parada, iniciar a execução da falta em questão tempo este controlado por um dos árbitros, através de sinalética específica mas sem que haja qualquer apito dos árbitros.»

    «2.2-Os jogadores que não têm intervenção na execução ou defesa da falta, têm de colocar-se na outra meia-pista, dentro da área de grande penalidade, só podendo movimentar-se e voltar a ter uma intervenção activa no jogo quando a bola for impactada ou tocada para execução do
    penalty ou do livre direto»

    Lendo este artigos não fica a duvida que tudo só começa quando quando a bola é tocada pelo marcador da penalty e que a sinalética do árbitro é meramente indicativa, isto é confirmado pelo ponto seguinte, em que diz quando deve começar a contagem do tempo.

    «2.4.4-A contagem do tempo de jogo só deve ser reiniciada no momento em que a bola for tocada ou impactada pelo Jogador executante do penalty ou do livre direto.»

    O artigo vem confirmar tudo o foi escrito até agora.

    «7.Punição das Infrações de Jogadores que não Intervêm na Execução do Penalty ou do Livre Direto
    7.1-Com ressalva do disposto no ponto 2.3.1 deste artigo, um jogador que por não ter intervenção direta na execução do penalty ou do livre direto está posicionado no interior da área de grande penalidade da equipa que beneficia da falta apenas poderá sair desse local ou movimentar-se em direção à bola depois do jogador executante do penalty ou do livre direto ter tocado na bola.»

    Para concluir, isto na minha interpretação, na marcação de um penalty ou livre direto, o árbitro levanta um braço e começa logo a contagem do tempo de 5 segundos para falta ser marcada.
    O tempo de jogo ou o cronometro só deve começar a contagem depois da bola ser tocada pelo stick do jogador encarregue da marcação da falta.
    Só nessa altura é que o guarda redes pode sair da baliza ou colocar a mão no chão.
    Também é nessa altura que os jogadores que estão na outra área que podem sair da mesma.

    Claro que podemos discutir se o Ricardo já estava adiantado ou não, e nas faltas a favor do Benfica o Edo também não saiu antes, parece que sim.

    Também não tenho dúvidas que a lei deve ser corrigida no seu ponto 7.3, de forma não deixar dúvidas qual é o momento de execução.

    Mas tal como neste artigo, pune a equipa que beneficia da marcação, como por exemplo se o marcador da falta, comete simulação, ou se existe uma substituição, isto “faltas que existem sempre antes da bola ser tocada”, e que transforma o penalty num livre indireto contra a equipa do marcador, também a saída de um colega do marcador antes do tempo, se ele for tirar vantagem dessa posição deve ser punida num livre contra sua equipa.

    Fazendo a leitura do lance, não resta dúvidas quem parou o jogo foi o árbitro que estava junto à área do Porto, por isso ele é que tem que assinalar e dizer a falta que marcou. Se assinalou a falta de um jogador do Porto, só tem que marcar um livre indireto contra o Porto.

  • ... [Não autenticado | IP: 188.81.xxx.xxx]: E se o arbitro apitar antes de o jogador executar o penalty?

  • Miguel Policarpo [Não autenticado | IP: 79.168.xxx.xxx]: Se o árbitro apitou antes do jogador tocar na bola,é considerado que o jogo não recomeçou. Logo tem que ser recomeçado pelo motivo que ele foi interrompido, que é pela marcação do penalty.
    Penso eu de que...

    No caso do Benfica - Porto para quem estava a ver na internet ou televisão parece que o jogo só foi interrompido depois do penalty ter sido marcado, para quem estava a ver ao vivo pode se ter apercebido de outra coisa

  • carlos [Não autenticado | IP: 188.80.xxx.xxx]: Não coloco em causa se o Edo Bosh cometeu a mesma falta em relação às sanções técnicas a favor do Benfica, porque como já disse,não vi o jogo e os meus comentários resumem-se ao lance da polémica.

    Quanto a mim,pelas imagens que vi, não há duvida que o Ricardo Silva comete falta, sendo sancionada com a repetição do penalti, mas também é estranho o arbitro em vez de estar atento à área que lhe compete, estar a olhar para a outra área. mas isso são situações de jogo.

    Para mim a lei é clara, o que foi assinalado foi a saída de um jogador do porto da área antes do tempo, logo não existia motivos para a repetição do penalti.

    Mas que o porto tem razões de queixa no protesto é inegável, sendo que para mim podiam perder os dois....:D

Notícias lidas no momento

A carregar...