Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Oliveirense ergue a Taça em Coimbra

Oliveirense ergue a Taça em Coimbra
A União Desportiva Oliveirense ergueu a sua segunda Taça de Portugal de Hóquei em Patins, após vencer o Candelária Sport Clube

O Pavilhão Multidesportos Dr. Mário Mexia, em Coimbra, foi palco da inédita final entre a União Desportiva Oliveirense e o Candelária Sport Clube, 3º e 4º classificados, respectivamente, do Campeonato Nacional da Primeira Divisão.

A primeira parte foi muito disputada, principalmente ao nível táctico, já que as duas equipas estavam preocupadas em aproveitar os poucos espaços para criar situações de perigo.
De notar que o Candelária deu a iniciativa à Oliveirense, defendendo à zona, e apostando muito no contra-ataque.
Curiosamente, foi a Oliveirense a inaugurar o marcador, por intermédio de Tó Silva... em contra-ataque. O nº7 da União tinha ficado para trás e o Candelária estava em superioridade no ataque: Domingos Pinho defendeu um remate picaroto e lançou a bola bem longe, para Tó Silva que, isolado, fez o golo.

Estavam decorridos apenas 7 minutos da primeira parte.
O jogo contiuou intenso e emotivo, com os dois gaurda-redes, João Miguel e Domingos Pinho, a exibirem-se a um bom nível.
A quatro minutos do intervalo, o Candelária chegou ao empate, graças a um potente remate de meia-distância de Sérgio Silva, que entrou colocado, junto ao poste esquerdo. Domingos não viu a bola partir, pelo que não conseguiu reagir... pelo que as duas equipas foram empatadas para o descanso.

 
A Oliveirense entrou muito bem na segunda parte: Tiago Santos desempatou a partida, com um remate cruzado, ao segundo poste. A cerca de 16 minutos do final da partida, Tiago Santos bisou na partida, colocando a Oliveirense a ganhar por 3-1.

O Candelária reagiu de pronto, com Sérgio Silva a rematar forte, mas ao poste.
A perder, os picarotos não baixaram os braços: mas Jorge Silva teve a mesma (falta de) sorte e também rematou ao poste.
A 9'25” do final, a sorte mudou um pouco: após um excelente passe de Mauro Fernandez, Jorge Silva rematou colocado e reduziu a desvantagem para 3-2.

A jogar de forma confiante – apesar do perigo das jogadas dos açorianos – a Oliveirense acabou por conseguir alargar a vantagem para 4-2, através de um remate frontal de Tó Silva (faltavam 7'12”).
Pouco antes de ser assinalada a décima falta colectiva ao Candelária (falta atacante...), Sérgio Silva voltou a ser infeliz, rematando à trave.
Tó Silva foi chamado a cobrar o livre directo, e acabou por marcar o 5-2, na recarga, após uma defesa atenta de João Miguel.

Faltavam cinco minutos para o final da partida, e os adeptos da União Desportiva Oliveirense começavam a festejar efusivamente a conquista desta segunda Taça de Portugal para o clube.
Nos instantes finais, Tó Neves fez alinhar Francisco Silva, Nuno Araújo e o guarda-redes Diogo Almeida, que ainda não tinham jogado, para a consagração.
A 19 segundos do apito final, Jorge Silva viu cartão azul. Tó Neves voltou a entrar em pista para cobrar o livre directo... mas não marcou.
 

As equipas alinharam e marcaram:

 

UD Oliveirense (5):

Domingos Pinho (Gr); Diogo Silva, Nuno Resende, Tó Neves, Tó Silva (3) – cinco inicial; jogaram ainda: Nélson Pereira, Tiago Santos (2), Nuno Araújo, Francisco Silva e Diogo Almeida (Gr);

Treinador: Tó Neves;

 

Candelária SC (2):

João Miguel (Gr); Sérgio Silva (1), Tiago Resende, Jorge Silva (1), Martin Montivero – cinco inicial; Jogaram ainda: Mauro Fernandez;

Treinador: Carlos Dantas;

 

Árbitros: Luís Peixoto (CRAHP Lisboa) e Rui Torres (CRAHP Minho); Auxiliar: Ricardo Leão (CRAHP Lisboa);

Cartão Azul: Jorge Silva;


Faltas: UD Oliveirense = 5 (1 + 4); Candelária SC = 14 (5 + 9)

Ao intervalo: 1-1;

Assistência: cerca de 400 espectadores;

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...