Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Macau quer aprender em Montreux

Macau quer aprender em Montreux
Macau abre Torneio de Montreux contra a França

(fonte: Hoje Macau)

A selecção de hóquei em patins do território abre ao fim da tarde da próxima quarta-feira as hostilidades da edição de 2011 do Torneio de Montreaux, num embate em que o grupo de trabalho comandado por Alberto Lisboa vai esgrimir argumentos com o cinco que representa França na competição.
A formação da RAEM começou no início do mês a preparar a participação na sexagésima quarta edição da também denominada Taça das Nações e esta noite sobe ao ringue do Pavilhão D. Bosco para efectuar o último treino no território antes de partir para a Suíça. A selecção de Macau – que detém o título asiático da modalidade – é a única representante do mais vasto continente do planeta no histórico torneio e vai disputar a fase regular da prova integrada no Grupo B, um grupo que para além da França integra ainda a toda poderosa Argentina e também a melhor selecção africana da actualidade, a selecção de Angola.

Os comandados de Alberto Lisboa encerram de resto a participação na fase de grupos do Torneio de Montreaux frente ao cinco angolano, naquele que é até ao momento o único embate lusófono confirmado. A selecção portuguesa, que venceu em 2009 a competição ainda com Luis Sénica no papel de principal responsável técnico pelo hóquei patinado luso, integra o grupo A na companhia da equipa da casa (o Montreux Hockey Club), da Alemanha e da principal candidata à vitória no torneio, a campeã europeia e mundial Espanha.

Para o cinco do território, a honrosa participação no Torneio de Montreaux representa sobretudo uma oportunidade para voltar a competir. Depois de ter ganho em Janeiro de 2010 a 13.ª edição do Campeonato Asiático de Hóquei em Patins, a selecção do território apenas disputou o Mundial "B" da modalidade e desde então não voltou a jogar um único encontro oficial, pelo que para os atletas do território participar na prova helvética é consumar um feliz reencontro com a prática da modalidade.

Os responsáveis pelo hóquei patinado do território partem para a Suiça sem outra ambição que não aprender e o presidente da Associação de Patinagem de Macau, António Aguiar, está até convicto que não será fácil escapar ao último lugar da competição: “Vamos jogar com algumas das melhores selecções do mundo e no hóquei em patins raramente há surpresas. Excepção feita ao Montreux Hockey Club, todas as restantes formações que disputam a prova pertencem à elite mundial da modalidade e nós somos os únicos representantes da segunda divisão. Com tais adversários, não será fácil escapar ao último lugar, mas devo dizer que os resultados não são a nossa motivação. O que nos motiva é sobretudo aprender com os mais fortes”, sublinha o dirigente.
No rinque do pavilhão Pierrier Clarens, a selecção comandada por Alberto Lisboa quer aprender antes demais a interiorizar as novas regras da modalidade. A prova helvética é o primeiro torneio internacional que Macau disputa sob a égide dos novos regulamentos promulgados pelo Comité Internacional de Hóquei em Patins e uma tal nuance pode criar problemas adicionais ao cinco do território. “Nunca jogamos nenhum encontro internacional com estas regras, ao passo que grande parte dos jogadores que vão disputar o torneio já jogam de acordo com os novos regulamentos há quase dois anos. Para os nossos atletas, errar será algo inevitável nesta competição, mas é com os erros que se aprende e o nosso principal objectivo é precisamente esse”, reitera António Aguiar.

A edição de 2011 do Torneio de Montreux tem uma outra particularidade. A competição, que se disputa regularmente desde o início da década de 20 do século passado, é o ponto alto das comemorações do centésimo aniversário da formação anfitriã, o Montreux Hockey Club.

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...