Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Campeonato Nacional da Primeira Divisão

Oliveirense derrota Porto

Oliveirense derrota Porto
Pela primeira vez na sua carreira de treinador, Tó Neves derrotou o “seu” antigo clube, o FC Porto. Aconteceu ontem à noite, num Pavilhão Dr. Salvador...

Pela primeira vez na sua carreira de treinador, Tó Neves derrotou o “seu” antigo clube, o FC Porto. Aconteceu ontem à noite, num Pavilhão Dr. Salvador Machado cheio, apesar do frio e de a partida ser disputada numa noite de Quarta-Feira.
O jogo foi sempre disputado a uma grande velocidade, com as duas equipas na busca do golo. A equipa da casa, no entanto, criava mais perigo, já que era mais eficaz nas transições defesa / ataque. Os portistas, por outro lado, erravam muitos passes e eram pouco felizes na finalização: na verdade, foi com lances de meia distância que o FC Porto esteve mais perto do golo.
Apesar do ritmo elevado, só a meio da primeira parte é que os dois técnicos começaram a rodar as respectivas equipas.
E foi mesmo um “suplente”, Tiago Santos, quem abriu o activo, cerca de dois minutos depois de se estrear em rinque (1-0), com um remate cruzado ao segundo poste, após um bom passe de Nélson Pereira.
A 5’47” do intervalo, Reinaldo Ventura saiu lesionado. Esta saída “obrigou” Franklim Pais a mudar de estratégia, efectuando duas substituições, e fazendo (re)entrar Pedro Gil e Filipe Santos. A UD Oliveirense também aproveitou para refrescar as suas opções, pelo que… não houve abrandamento no ritmo de jogo.
E foi a um ritmo louco que a Oliveirense chegou ao 2-0, através de um belo golo de Nuno Araújo, que seguiu pelo corredor direito, colocando a bola ao primeiro poste, com Edo Bosch a falhar por pouco a defesa.
Ao intervalo, a Oliveirense foi a vencer por 2-0, tendo sido assinaladas apenas 3 faltas colectivas à equipa da casa e 8 aos portistas.



Reacção portista
Por algum motivo, o Futebol Clube do Porto venceu os últimos nove campeonatos nacionais: no início da segunda parte, Franklim Pais estreou Gonçalo Suíssas na partida, para o lugar de Emanuel García, muito nervoso no primeiro tempo, sobretudo no que às faltas de equipa diz respeito.
Foi mesmo Suíssas quem, em conjunto com o recuperado Reinaldo Ventura, comandou a reacção portista: o 2-1 surgiu num remate do “Rei”, com Suíssas a abrir as pernas para deixar passar a bola, impedindo Domingos Pinho de ter a mínima hipótese de defesa…
Menos de um minuto depois, Reinaldo Ventura retribuiu, assistindo Gonçalo Suíssas para o 2-2.
Estes dois golos deram mais confiança aos portistas, mas a Oliveirense não desarmou: aos 32’, Nuno Resende desempatou a partida, fazendo o 3-2.



Logo depois, Pedro Moreira viu cartão azul, por falta sobre Tiago Santos. Na cobrança do livre, Edo Bosch esteve impecável, negando o golo a Tiago Santos. Nos minutos seguintes, a Oliveirense enviou a bola aos ferros por duas vezes, tendo também ó Neves rematado ao lado da baliza (bem) defendida por Edo Bosch.
De referir que, nesta segunda parte, e apesar do ritmo elevado, só aos 36’ é que foi assinalada uma falta de equipa, então a quarta da UDO, quando o FCP somava oito.


Oliveirense sempre na frente
A 13’38” do apito final, o capitão portista, Filipe Santos, viu cartão azul, por falta sobre Tiago Santos. Nuno Araújo foi encarregue de marcar o livre directo, tendo tido sucesso: a Oliveirense passava a ganhar por 4-2!



A 9’56” do final, foi assinalada a 10ª falta colectiva portista. Desta vez, Nuno Araújo não teve sorte, já que Edo Bosch tapou todos os espaços, com o jovem avançado oliveirense a rematar ao lado. Logo a seguir, Tó Silva tentou fazer uma “picadinha”, mas Edo Bosch voltou a defender.
Na resposta, Pedro Moreira enviou a bola à barra, para depois Domingos Pinho, com três defesas praticamente consecutivas, voltar a negar o golo aos avançados portistas.

A 5’16”, Nuno Resende viu cartão azul. Na cobrança do livre directo, Reinaldo Ventura estabeleceu o resultado final em 4-3, rematando forte, para defesa de Domingos Pinho, que não conseguiu defender na recarga.



Até ao final do encontro, as duas equipas estiveram perto do golo, mas destacamos uma bela oportunidade de Diogo Silva, a 1’50” do apito final. A Oliveirense acabou o jogo com a posse de bola, segurando como pôde um resultado histórico, uma vitória sobre o FC Porto, algo que já não acontecia desde a temporada de 2004/05!

A arbitragem de Luís Peixoto e João Paulo Romão, do CRAHP de Lisboa, esteve a um bom nível, tal como a partida, no seu todo.



Com esta vitória, a UD Oliveirense ascende ao segundo lugar, com 38 pontos, a quatro do Benfica, que continua no Primeiro lugar (42 pontos). Os portistas são agora os terceiros classificados, com 37 pontos acumulados.

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...