Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Campeonato Nacional da Terceira Divisão, Zona Centro

Santa Cita vence no Entroncamento

Santa Cita vence no Entroncamento
Com o Pavilhão Albano Mateus a registar a maior enchente da época, a tarde de Sábado foi de emoções fortes para os cerca de 400 adeptos, em maio...

(Texto: Cartão Azul)
(Fotos: Barros Simões)


Com o Pavilhão Albano Mateus a registar a maior enchente da época, a tarde de Sábado foi de emoções fortes para os cerca de 400 adeptos, em maioria apoiantes da equipa da casa, que se fizeram ouvir ruidosamente no apoio ás suas equipas.
Sob a arbitragem de Paulo Carvalho, a equipa da casa apresentou-se em campo com Tiago Velez, Pedro Brazete, Bruno Carvalho, Pedro Sousa e Marco Bento frente a um Santa Cita com João Martins, Nuno Nobre, Eliseu, Tiago Pereira e Rui Oliveira.
As duas equipas entraram para este jogo com um respeito mutuo bastante evidente, sendo que até á passagem do minuto dez assistimos a um jogo algo retraído, com duas equipas a estudarem-se, procurando sempre o erro do adversário e dando total prioridades às acções defensivas.

A partir deste momento começou a soltar-se mais a equipa do União, que através de meia dúzia de lances mais vistosos, lá ia chegando à baliza adversária, sempre sem sucesso, perante um enormíssimo João Martins que ia criando enormes dificuldades aos avançados da equipa Unionista.
Sensivelmente a meio do primeiro tempo registou-se o primeiro grande sinal de interesse do jogo: João Mendes com alguma sorte, inaugurou o marcador e colocou justiça no marcador, tendo em conta o que se ia passando em rinque.
Ainda adormecidos pelos festejos do golo, o União permite que o Santa Cita chegue à igualdade, poucos instantes depois, através do ex-União David Vieira.
A partir deste momento e até ao intervalo assistiu-se a um jogo bastante equilibrado com ligeiro ascendente atacante dos avançados da casa, destacando-se mais umas vezes João Martins pelas excelentes defesas que ia fazendo, retardando assim ao máximo o segundo golo do União.

Ainda antes de Paulo Carvalho apitar para o intervalo, tempo ainda para Miguel Boavida falhar mais um penalti e para o erro mais evidente do árbitro da partida, que após a subida de uma bola depois dum remate dos homens da aldeia do hóquei, leva Tiago Pereira à boca da baliza a empurrar para o fundo das redes, colocando o marcador em 1-2 para o Santa Cita no final do primeiro tempo.



Com a segunda parte regressaram ao rinque as duas equipas, muito mais soltas, mas com um ascendente do União que através de Marco Bento e Pedro Sousa iam colocando à prova a defensiva dos forasteiros, destacando mais uma vez o Super João que iam defendendo tudo que apanhava pela frente.

Cinco minutos volvidos, foi assinalada uma falta para o União à entrada da área adversária. Com o árbitro a formar a barreira e os jogadores do Santa Cita a posicionarem-se, eis que o livre é rapidamente batido e Pedro Sousa, a colocar mais que justiça no marcador, embora nos parecesse um lance ilegal.

Dez segundos depois, e mais uma vez na bola de saída, Nuno Nobre em jogada ensaiada, desfere um remate a meia altura para Tiago Barreiro, à boca da baliza, fazer o desvio e bater Tiago Velez, fixando assim o resultado final para 2-3 a favor da equipa visitante.

Até ao final, nota ainda para duas grandes penalidades falhadas por Marco Bento e mais um livre directo marcado por Miguel Boavida que teve o mesmo destino.
Nota final para a excelente exibição de João Martins, sendo que se assistiu a um jogo bastante bem disputado que poderia ter sido ganho por qualquer uma das equipas, mas que claramente o empate ou a vitória do União se justificava mais.
Destaque ainda para o regresso de mais dois jogadores ex-União, David Vieira e Zig a um campo que bem conhecem, com duas boas exibições.
É de realçar ainda a magnífica moldura humana presente no Pavilhão, que claramente nos fez recordar outros tempos.


Nota Positiva – João Martins, pelo referenciado anteriormente, os cerca de 400 adeptos presentes neste jogo e o bom espectáculo com que as duas equipas nos presenciaram. Destaque ainda para o “fair Play” demonstrado pelas duas falanges de apoio das duas equipas, assim como os seus técnicos e responsáveis a darem o exemplo.

Nota Negativa – Dois erros do árbitro com influência em dois golos, um para cada lado, alguns lances evitáveis que em nada ajudam o espectáculo, a escassa divulgação que um jogo destes merecia e o mais importante, a falta de eficácia da equipa da casa em lances de livres directos e penalties que cada vez mais resolvem jogos e dão pontos que se podem tornar preciosos no futuro.

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...