Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Campeonato Nacional da Primeira Divisão

Jogo equilibrado entre Tomar e Viana

Jogo equilibrado entre Tomar e Viana
Crónica: António Sirgado Fotos: Barros Simões Depois de uma derrota sem apelo nem agravo na passada semana em Valongo, nada melhor que vencer no s...

Crónica: António Sirgado
Fotos: Barros Simões


Depois de uma derrota sem apelo nem agravo na passada semana em Valongo, nada melhor que vencer no seu reduto uma das equipas sensação da passada época, o Juventude de Viana.
Mas foi uma vitória arrancada a ferros, aquela que a formação orientada por Nuno Lopes conseguiu no passado sábado em Tomar.
O Sporting de Tomar com uma entrada muito frouxa, ou talvez não, pois a equipa de Viana de Castelo a viver tempos difíceis, veio a Tomar com o intuito de levar os três pontos, teve dificuldades em pôr o seu jogo em campo, fruto de uma pressão muito forte por parte da equipa visitante.
Com um jogo muito incaracterístico por parte das duas equipas, até seria o Tomar a ter a primeira grande oportunidade, quando Gonçalo Santos desperdiça um livre directo, havia 15 minutos para jogar.
E quem não marca arrisca-se sempre a sofrer, pois seria o Viana a inaugurar o marcador aos 12'30" de jogo.
O Sporting ainda se recompunha do golo sofrido quando sofre o segundo golo 30 segundos depois, numa situação em que a formação visitante jogava só com 3 elementos de campo, em sequência de uma jogada de contra ataque e onde a defesa leonina foi muito lenta a reagir, com Márcio Ornelas a ser batido sem apelo nem agravo.
A reacção leonina ficou pelas intenções, e seria o Viana a tomar conta do jogo, que sem surpresas aumentava para 3-0 o seu pecúlio numa situação onde a defesa leonina foi mal batida num lance dentro da àrea Tomarense e que Hugo Costa não perdoou.
O Sporting de Tomar conseguiu reduzir 40 segundos depois por Gonçalo Santos através de uma grande penalidade havia 8'15" para jogar.
A Juventude de Viana ainda desfrutou de um livre directo a 5'23" minutos do intervalo para aumentar o marcador mas o avanço visitante não aproveitou. O intervalo chegaria com o resultado favorável ao J Viana por 3-1, que diga-se, justo para aquilo que a equipa nortenha tinha mostrado dentro de ringue neste período.



O Sporting de Tomar veio com outra disposição do balneário, e disso beneficiou o jogo e a equipa quando Nuno Domingues fez o 2-3 numa sticada que ainda desviou num defesa do Viana e anichou-se no fundo da baliza, havia 1'40" de jogo. O Tomar começou então a pressionar o ultimo reduto do Viana, conseguindo aos 8'50" beneficiar de um livre directo a punir a décima falta da Juventude de Viana que Favinha não perdoou, fazendo aí o empate, e pondo o público e o jogo ao rubro.

A formação forasteira com um conjunto mais evoluído e com constantes trocas de bola não deixou a defesa leonina em descanso, mas aí Ornelas era quase imperial. Com o jogo aberto e as oportunidades a caírem para os dois lados foi novamente Favinha, ao aproveitar uma desconcentração da defesa visitante e a fazer o 4-3 havia 13 minutos de jogo, incendiando o Pavilhão que já fervilhava com as incidências do encontro.
A Juventude de Viana não acusou o toque e empata a partida aos 14´50” numa altura em que jogava em inferioridade numérica, e aí com culpas para a equipa leonina que não soube segurar a bola, permitindo pela segunda vez um golo à formação visitante com estes a jogar com menos um jogador.
Foi a partir desta altura que o jogo ganhou ainda mais vida com a equipas a entregarem-se de corpo e alma ao jogo, procurando surpreenderem-se mutuamente. O Viana adianta-se no marcador aos 18´30” através de um Livre directo a punir a 10.ª falta de equipa do SC Tomar.
Com Favinha a ser o motor do ataque leonino, o Tomar beneficia de um livre directo a castigar um cartão azul a um atleta do Viana, mas Gonçalo Favinha não aproveita a oportunidade havia 19'20" de jogo.
Com o muito publico a puxar pelos Leões, a 1'54" do fim do jogo, Favinha, pois quem poderia ser, desvia de forma subtil a bola para o fundo das redes, empatando a partida.

Com os últimos dois minutos de fazer parar a respiração a quem assistia à partida, a 54 segundos do apito final Gonçalo Santos põem o Pavilhão em delírio quando fez o 6-5 de livre directo, a punir a 15.ª falta da equipa visitante. Com o publico a puxar a plenos pulmões pela formação leonina, foi Márcio Ornelas a segurar o resultado quando a escassos segundos do fim consegue fazer a defesa do encontro ao desviar a redondinha que levava o selo de golo, para o fundo do ringue.

Final de jogo como hà muito não se via em Tomar, onde as duas equipas deram o que tinham e não tinham para levar os pontos para casa, mas diga-se em abono da verdade que a formação de Nuno Lopes mereceu esta vitória, pela entrega pela atitude, e pela garra que mostraram, em especial no Segundo período de jogo.

Quanto à Juventude de Viana mostrou ser uma equipa que merece outros patamares, com jogadores de fina execução, mas teve a infelicidade de encontrar uma equipa de operários que quiseram mostrar ao seu timoneiro que o que se passou em Valongo foi um percalço de caminho.

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...