Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Corrida por um lugar na Liga Europeia está ao rubro

Corrida por um lugar na Liga Europeia está ao rubro
A derrota do Sporting na recepção ao Porto antes dos oitavos-de-final da Taça de Portugal, deixou a luta pelo quarto lugar num “imbróglio” que não se ...

A derrota do Sporting na recepção ao Porto antes dos oitavos-de-final da Taça de Portugal, deixou a luta pelo quarto lugar num “imbróglio” que não se via desde a primeira jornada.

Os quatro primeiros lugares do Nacional da I Divisão apuram as equipas para a edição da época seguinte da Liga Europeia. Longe do glamour económico da “Champions” do futebol, a Liga Europeia tem o glamour desportivo da mais importante prova de clubes, não só da Europa mas do Mundo.

Benfica, Porto e Oliveirense destacaram-se desde cedo nos lugares cimeiros. Com o trio que agora ocupa as três primeiras posições, ia o Óquei de Barcelos, tendo realizado uma extraordinária primeira volta. Finda a 12ª jornada, com uma para cumprir na primeira metade do campeonato, a diferença entre Barcelos - então segundo – e Turquel cifrava-se em 19 pontos. Na ronda seguinte, o Turquel recebia e vencia o Barcelos e as diferenças começavam a esbater-se vertiginosamente.

A Oliveirense, com nove pontos acima do quarto lugar, tem a qualificação praticamente garantida; atrás, a luta é titânica

Sendo que Candelária e Benfica, que só fecham a 20ª jornada a 30 de Abril, não entram nas contas deste campeonato do quarto lugar, a luta à entrada para as derradeiras seis partidas está ao rubro.

Na tabela classificativa, nove pontos depois do terceiro – Oliveirense – aparece o Barcelos. E o Valongo. Com apenas menos um ponto está o Sporting. E para estas contas vamos considerar também Turquel e Juventude de Viana, a cinco pontos e a viverem momentos diametralmente opostos, mas com o calendário a cruzar com o trio que está praticamente empatado na quarta vaga da Liga Europeia.

O Barcelos - de Pedro Mendes - ainda está nos quatro primeiros, mas a segunda volta tem deixado a desejar

De facto, Barcelos (36 pontos), Valongo (36) e Sporting (35) não partilham apenas os pontos que valem o actual lugar na classificação. O equilíbrio é gritante também nos golos marcados – 83 para Barcelos, 82 para Valongo e Sporting – e nos sofridos – 66 para Valongo, 67 para Barcelos e Sporting. Num exercício sobre os confrontos directos, ganham os leões, quer havendo igualdade entre as três equipas, quer a equipa de Nuno Lopes acabe com os mesmos pontos de apenas Barcelos ou Valongo.

E, olhando para a teoria do calendário que, no que torna o desporto interessante de acompanhar, muitas vezes não se concretiza, será o Sporting o principal candidato a lograr o objectivo que escapou na última jornada de 2014/15.

A diferença entre o lote de cinco equipas em análise só foi mais pequena na primeira jornada, altura em que só tinham sido disputados três pontos.

Os leões partiram para esta época com as expectativas em alta, mas apostaram muito nos títulos de início de temporada na Supertaça António Livramento (em que venceram o Benfica) e na Taça Continental (em que não conseguiram contrariar o poderio blaugrana). Demasiado.

À nona jornada, com a derrota por 2-1 em Viana do Castelo, os leões somavam apenas três vitórias, fraco pecúlio para quem prometia intrometer-se na luta pelo título. Mas, desde aí, encarrilaram para oito vitórias em nove jogos – só perderam na recepção ao Benfica – ficando a um passo de ocupar o quarto lugar. Um passo que está difícil de dar.

O Sporting - de Ricardo Figueira - perdeu duas oportunidades de subir ao quarto lugar… mas é favorito

Na ronda anterior o Sporting perdeu em Valongo (5-3) e agora com o Porto (2-4), em duas situações em que bastaria um empate para chegar ao quarto lugar. E esta jornada os leões têm mais uma tarefa hercúlea, jogando em Oliveira de Azeméis. Mas, ainda assim, o calendário é favorável à equipa de Nuno Lopes. Só voltando a jogar para o campeonato em Maio (defende o título da CERS no final de Abril), o Sporting tem a grande prova de fogo na deslocação ao surpreendente Turquel, na penúltima jornada.

O Óquei de Barcelos teve o segundo lugar na mão e caiu a pique. A derrota em Turquel no fecho da primeira volta marcou uma inversão de momento, e em sete jogos da segunda volta só venceu dois, empatando dois e perdendo três, num total de 13 pontos perdidos. No que falta jogar, a equipa de Paulo Freitas desloca-se ao Dragão Caixa, recebe a Oliveirense, vai a Viana… e na última jornada recebe o Turquel. A defesa do quarto lugar não se adivinha fácil…

O Valongo - de João Almeida – viveu esta época a emoção da Liga Europeia e tem subido na classificação

O Valongo teve uma recuperação espectacular, mas tem um calendário complicadíssimo até final. Paulo Pereira saiu mas o ex-capitão Miguel Viterbo continuou a capitalizar um filão de talento jovem que parece inesgotável e de uma maturidade impressionante. Nas duas últimas jornadas, os campeões nacionais de 2013/14 venceram Sporting e Barcelos mas nas próximas, depois de receber agora o Candelária, defronta consecutivamente Benfica, Porto e Oliveirense, “apenas” os três primeiros do campeonato. E antes de terminar o campeonato com o Cambra, ainda defronta a Juventude em Viana.

A olhar para cima

Um pouco mais atrás do trio composto por Barcelos, Valongo e Sporting surgem Turquel e Juventude de Viana. As duas equipas têm um atraso de cinco pontos para o quarto lugar que será complicado de anular, mas este campeonato já mostrou que numa jornada – ou nos necessários seis pontos de duas – tudo pode mudar.

Que o diga o Turquel. Depois de praticamente meio campeonato calamitoso, que colocou a equipa da Aldeia do Hóquei na luta pela manutenção, a última jornada da primeira volta – a vitória sobre o Barcelos por 4-1 – reduziu a diferença para os barcelenses de 19 para 16 pontos. E não mais os turquelenses pararam de subir na classificação.

Contabilizando a vitória no fecho da primeira volta, a equipa de João Simões soma sete vitórias em oito jogos, só tendo perdido em Oliveira de Azeméis (pela margem mínima, 4-3). E mais do que os pontos somados, ficam alguns dos adversários que caíram aos patins do “renascido” Turquel: Óquei de Barcelos, Porto, Juventude de Viana e Valongo.

A vitória do Turquel – de “Xanoca” – sobre o Barcelos marcou momento de viragem

Nesta 21ª jornada, a equipa com melhor registo à condição (o Benfica tem menos um jogo) da segunda volta, defronta o líder Benfica na Luz para um resto de campeonato em que nas duas últimas recebe Sporting e viaja até Barcelos. Os “Brutos dos Queixos” até poderão não perder pontos para os adversários numa luta que, no início do Nacional, ninguém imaginava que fosse sua, mas os cinco pontos de atraso são uma hipoteca praticamente impossível de cobrir.

Com os mesmos pontos do Turquel (e os mesmos 74 golos sofridos, com 76 marcados contra 79 dos alvinegros), mas num momento completamente oposto, surge a Juventude de Viana. As notícias para a nova época da saída do treinador Pedro Sampaio e da chegada de Edo Bosch – saindo Francisco Veludo para o SC Tomar – parecem ter deixado marcas e, nos últimos quatro jogos para o campeonato, os vianenses perderam por três vezes num baixar de braços quando o quarto lugar estava muito próximo.

A Juventude de Viana - de Tó Silva - “caiu” com as notícias para a próxima temporada

Nos seis jogos que lhe restam, a Juventude de Viana defronta Sporting, Barcelos e Valongo… e fecha o Nacional da I Divisão com o Porto. Numa posição confortável, resta saber se os vianenses encontram forças – anímicas, fundamentalmente – para algo mais, sendo certo que os seus resultados serão sempre determinantes para a definição de um quarto lugar com muitos pretendentes.

Analisada a frieza dos números, segue o calor das emoções do campeonato...



Veja esta e outras noticias em: HoqueiPT

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...