Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Dia do Maior

Dia do Maior
Hoje é dia do maior clássico do Hóquei em Patins mundial. Portugal e Espanha defrontam-se a partir das 17h30 em Follonica depois de saldarem por vitó...

Hoje é dia do maior clássico do Hóquei em Patins mundial.

Portugal e Espanha defrontam-se a partir das 17h30 (de Portugal continental) em Follonica depois de saldarem por vitórias, ambas pela margem mínima, os jogos de estreia na competição.

Na Taça Latina, o equilíbrio entre as duas maiores potências do Hóquei em Patins está bem patente. Portugal venceu 13 e a Espanha 11, num total de 24 triunfos nas 27 edições da prova que teve início em 1956.

Pedro Vaz festeja com Gonçalo Alves o golo que dá inicio à reviravolta

Na última edição da Taça Latina, Portugal – com Luís Sénica no comando técnico - levou a melhor. Em 2014, em Viana do Castelo, Portugal arrebatou o título com uma vitória no derradeiro jogo do torneio por 3-2. A Espanha adiantou-se no marcador já na segunda parte por Marc Julià de livre directo, Pedro Vaz restabeleceu a igualdade e Hélder Nunes consumou a reviravolta, também de livre directo. Com a Espanha desesperadamente em busca do empate, Telmo Pinto ampliou para 1-3. O melhor que a equipa de Quim Paüls conseguiu foi reduzir, por Alex Rodriguez, de grande penalidade.

Festa final foi portuguesa

Este ano, Sénica e Paüls voltam a encontrar-se. Mas, mais do que a coincidência de treinadores, há assinalar uma entre os actuais capitães. A Taça Latina é uma prova de Sub-23 e raros são os jogadores que “bisam” nas presenças. Mas Hélder Nunes e Pau Bargalló protagonizam em Itália a terceira (!) presença, sendo certo que é a última possível em função da idade nesta prova bianual. E este é ano de tira-teimas em terreno neutro, depois de cada um ter vencido perante o seu público. Hélder Nunes venceu em 2014 em Viana do Castelo e Pau Bargalló – reforço do Barcelona para a próxima época – vencera em 2012, em Vilanova i la Geltrù.

Em Itália, onde a Espanha já foi feliz

A Taça Latina regressa este ano a Itália, dez anos depois da última edição realizada em solo transalpino. Ao longo das 27 edições, a Itália organizou a prova por apenas três vezes. Portugal venceu em 1957 e a Espanha em 1963 e 2006, ano em que a prova passou para a alçada do CERH.

Em 2006, sob o comando de Carlos Feriche, a Espanha já iniciara o seu período de domínio avassalador no Hóquei em Patins sénior – ganharam os cinco mundiais e cinco europeus realizados entre 2004 e 2013 - e praticamente decidiu a 23ª edição da Taça Latina logo no primeiro jogo, batendo Portugal de forma autoritária por 6-0.

O mecânico Herminio Carrilho é, 10 anos depois, o “sobrevivente” da comitiva da Taça Latina de 2006

Por Portugal, sob as ordens de Paulo Batista, estiveram presentes os então Sub-23 Pedro Cubelo (hoje no Infante Sagres) e Nelson Filipe (guarda-redes), Vítor Hugo e Jorge Silva (no FC Porto), André Centeno (no Sporting), Tiago Resende e André Moreira (Candelária), Gonçalo Suissas (Juventude de Viana), Pedro Moreira (Oliveirense) e Nelson Ribeiro (Paço de Arcos).

Já pela Espanha, os nomes também não são de forma alguma estranha… A Espanha venceu Portugal com três golos do capitão Jordi Adroher (agora no Benfica), um de Albert Casanovas (Oliveirense), outro de Jepi Selva (que no próximo ano reforçará a Oliveirense) e um de Raul Marin, regressado este ano ao Reus depois de ter representado o Barcelona.

Quem representava o Barcelona na altura – ainda com idade júnior, mas habitualmente chamado aos seniores – era Sergi Miras, reforço confirmado do Sporting, que não jogou frente a Portugal num grupo que tinha ainda Sergi Fernandez (hoje no Barcelona) como guarda-redes titular e Lluis Gil, irmão de Pedro Gil, como suplente. Vestiam ainda a camisola da então – e por muitos anos – “Armada Invencível”, o agora capitão do Vic Roma Bancells e os agora “afastados” Jordi Bartres e Adrià Piera.

Jordi Adroher - capitão e autor de dois hat-tricks em 2006 - é nos dias que correm figura no Benfica e no Campeonato português

O avançado Jordi Bartres abandonou em 2014, depois de uma época no Vic. Ganhou uma CERS pelo Mataró e foi finalista pelo Vilanova na edição que o Benfica ganhou… em Vilanova. Adria Piera está “apenas” afastado da alta competição. Joga no Hoquei Olot, que disputa a Nacional Catalana, onde se discute a subida à Primera División, antecâmara da Ok Liga.

Depois da derrota frente à Espanha, Portugal venceu uma França bem distante da dos dias que correm por 9-1 e a Itália por 2-1. Insuficiente para dar a volta à classificação, mesmo com o empate entre Itália e Espanha (1-1) na segunda jornada, com um golo de Jepi Selva. Na terceira ronda, a Espanha carimbou a conquista com um 4-0 frente à França, com novo hat-trick de Adroher e um golo de Sergi Miras.



Veja esta e outras noticias em: HoqueiPT

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...