Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

FORA DE CASA OS TIGRES SÃO GATOS...!!!

FORA DE CASA OS TIGRES SÃO GATOS...!!!
Os Tigres voltaram a "despistar-se" na 2ª saída para fora de portas, desta feita foi no Estoril, que a equipa vinda de Almeirim voltou a perder o rumo...

Os Tigres voltaram a "despistar-se" na 2ª saída para fora de portas, desta feita foi no Estoril, que a equipa vinda de Almeirim voltou a perder o rumo.
Mas vamos às principais incidências do jogo.
Pela 1ª vez, Pedro Nifo foi "obrigado" a alterar o seu 5 habitual, tendo Márcio Nunes aparecido no lugar de Paulo Passos, em virtude de no último treino da semana, o fogoso avançado ter-se magoado, tendo inclusive necessidade de receber tratamento hospitalar, sendo apenas a sua enorme raça e espírito de sacrifício a permitirem a sua presença no jogo de ontem:
17- Carlos Coelho (Pilé) Gr.4 - André Martins (Kéké) (Cap.)45 - João Silva (Janeka) (1)5 - André Gaspar (2)55 - Márcio Nunes
Jogaram ainda:26 - Ivan Mamedov7 - Anderson Luís8 - Hugo Morais (1)28 - Paulo Passos (Paulinho) 10 - João Patrício Gr.
O jogo começou numa toda de equilíbrio, com a equipa do Tigres a adaptar o seu jogo ofensivo à ausência de Paulinho, optando mais vezes pelo 2x2 com Kéké mais adiantado no apoio a Gaspar, em detrimento do habitual 3x1.
Estavam decorridos cerca de 2 minutos, quando surge a primeira situação polémica, de uma arbitragem que seria tudo menos consensual, com António Rocha a apontar para a marca da grande penalidade a punir uma eventual infracção cometida por Kéké, entra "Janas" na Salesiana, para tentar concretizar mas permite defesa a Pilé.
A toada de equilíbrio manteve-se até que a 16:30 do intervalo, Miguel Mendes remata à entrada da área e beneficiando de uma cortina efectuada por um colega de equipa, acaba por trair Pilé, inaugurando o marcador.
O Tigres reage e Gaspar obriga "Gui" à primeira grande defesa da tarde, na sequência de um bom entendimento com Márcio, a pressão do Tigres começa a fazer-se sentir e Janeka por 2 vezes está próximo do golo, mas ambas são negadas pelo excelente g.redes "canarinho" e como diz o ditado, "quem não mata, acaba por morrer" e foi isso que aconteceu com a Salesiana a elevar para 2-0 por Luís Marques, que com uma fortíssima sticada desferida do corredor esquerdo do seu ataque.
Estávamos sensivelmente a meio da 1ª parte e Nifo sente-se na obrigação de lançar Paulinho no jogo, que rendendo Márcio, permite que o Tigres tenha em pista o seu 5 habitual e passa dessa forma a atacar em 3x1, os minutos vão passando e apesar das oportunidades serem cada vez em maior nº junto da baliza da Salesiana, o seu g.redes continuava a chegar para as encomendas, mesmo quando tem pela frente Janeka, que na sequência de um Azul a Pedro Lourenço, beneficia de um livre directo.
Durante power-play consequente, é marcada uma grande penalidade por falta sobre Janeka, na marcação Paulo Passos remata, com a bola a bater na barra e pareceu-nos na trave interior da baliza, o árbitro António Rocha volta a protagonizar uma decisão polémica, pois interrompe a partida (com a bola jogável, que entretanto tinha sido afastada pelo g.redes) parecendo ir validar o golo, mas depois de alguma hesitação, optando pelo golpe-duplo.
Os minutos vão passando, a pressão do Tigres é quase sufocante, mas a ineficácia na finalização continua a ser evidente e volta a ser penalizada, quando viu o seu adversário ampliar para 3-0, através do desenvolvimento exemplar de um contra-ataque em 3:2 com Pedro Santos a oferecer o golo a Luís Marques.
Faltam 5 minutos para o intervalo e o Tigres não baixa os braços, continuando a pressionar o seu adversário que raramente consegue passar o meio-ringue e depois de mais uma série de oportunidades, Gaspar finalmente consegue desfeitear o fantástico "Gui", com um golo de belo efeito, após rotação sobre o seu adversário directo.
Os últimos 2 minutos continuaram a ser de pressão sufocante dos Tigres, mas por uma razão ou outra a bola teimava em não entrar.
Intervalo
 AJ Salesiana 3 vs 1 HC Os Tigres  
Faltas de equipa 6 - 6

2ª Parte
O inicio de 2ª parte trouxe um Tigres com uma disposição clara de inverter rapidamente o resultado, pois uma defesa individual a toda a pista, quase não permitia que a Salesiana conseguisse ter bola. Foi por isso sem surpresa que André Gaspar voltou a marcar (com 3 minutos de jogo decorridos), desviando no coração da área um remate de Paulinho e 5 minutos depois seria a vez de Janeka fazer o golo da tarde, num lance de antologia, tendo-se libertado do seu adversário directo, finalizando já dentro da área com uma picadinha fantástica. Faltavam 18 minutos para serem jogados e o mais difícil parecia estar feito, com o Tigres a dominar totalmente a partida e a Salesiana cada vez mais encolhida, defendendo numa zona muito recuada colocando diversas vezes, 3 jogadores dentro da sua área.
Com esta estratégia os comandados de Costa Duarte, iam conseguindo suster um adversário, que na ânsia de chegar pela 1ª vez à vantagem, se ia desequilibrando defensivamente, tendo menos capacidade de pressionar a saída de bola adversária, permitindo que a equipa da Linha do Estoril começasse a reequilibrar o jogo.
A 16 minutos do final, Paulo Passos é admoestado com cartão Azul, mas Janas volta a permitir a defesa de Pilé, mas na sequência do power-play a Salesiana voltava a liderança no marcador, através de Miguel Mendes que com um remate rasteiro à entrada da área trai pela 2ª vez Pilé, fazendo o 4-3, quando ainda haviam 15 minutos para serem jogados.
A Salesiana, reforça a sua estratégia defensiva, acantonando-se cada vez mais atrás e saindo apenas em contra-ataque, por outro lado o Tigres acusa em demasia esta nova desvantagem no marcador e joga mais com o coração que com a cabeça, com pouco critério no ataque onde o individual cada vez mais se sobrepunha ao colectivo, ainda assim Janeka volta a ter uma soberana oportunidade para igualar a partida, mas volta tb a permitir que "Gui" defenda a tentativa de conversão de um LD originado na acção disciplinar a Janas.
Do power-play consequente, registar apenas um remate ao poste da baliza canarinha efectuado por Anderson. O Tigres continua a arriscar, mas Gui parece obstáculo intransponível e uma vez mais a ineficácia Almerinense é penalizada, quando Leo saí em transição libertando-se do seu adversário directo e já dentro da área servindo Miguel Mendes para a obtenção de um "hat-trick", fixando o resultado no 5-3 que se viria a registar no final da partida.
A história dos últimos 5 minutos, fica marcada pelo desnorte dos jogadores dos Tigres e tb da equipa de arbitragem, que neste espaço de tempo exibiria a cartolina azul por 3 vezes e a vermelha por 1 vez, esta última que foi mostrada já nos últimos segundos a Anderson pareceu-nos claramente excessiva.
Nota final para o facto de neste período João Patrício, ter evitado 4 livres directos, sendo que tb Gaspar havia de desperdiçar o livre directo de que dispôs, na sequência da 10ª falta de equipa, averbada á Salesiana.
Em resumo, uma derrota que penaliza claramente, não só a ineficácia demonstrada na finalização, como também a falta de critério e organização no último quarto do jogo.
No próximo sábado, aquando da recepção ao HC Sintra é imperioso voltar às vitórias.
Crónica/Fotos: José Carlos GasparTitulo: Cartão Azul

Fonte: Francisco Gavancho / Cartão Azul

Comentários

Notícias lidas no momento

A carregar...