Mundo Do Hoquei - Portal informativo de Hoquei em Patins

Entrevista a…

José Paulo Matias (Presidente AP Minho)

José Paulo Matias (Presidente AP Minho)
No passado Domingo, o “Mundo do Hóquei” esteve à conversa com José Paulo Matias, histórico dirigente do hóquei em patins, presidente da Associação de ...

No passado Domingo, o “Mundo do Hóquei” esteve à conversa com José Paulo Matias, histórico dirigente do hóquei em patins, presidente da Associação de Patinagem do Minho há vários anos...


Mundo do Hóquei (MdH): Quais são os principais objectivos, ao nível desportivo, da Associação de Patinagem do Minho para este novo ano de 2011?
José Paulo Matias (JPM): O nosso objectivo será sempre a melhoria contínua dos resultados das equipas e dos clubes e tentar que consigam ter cada vez mais condições para exercer a sua actividade, algo que nos dias de hoje começa a ser cada vez mais complicado.
Também ao nível desportivo, desejo que as quatro equipas minhotas consigam garantir a manutenção na Primeira Divisão, seria muito bom. Na segunda divisão, queremos manter os nossos dois clubes e, se possível, manter o Riba de Ave a lutar pela subida.
E na terceira divisão, temos um clube que provavelmente conseguirá regressar à segunda divisão, que é o FAC. É esse o lugar natural desse clube!
Portanto, temos objectivos grandes, para uma área relativamente pequena, mas onde o hóquei é muito vivido e muito sentido. É uma região onde os dirigentes trabalham muito, para manter os clubes activos, dinâmicos e competentes.



MdH: Para além dos seniores, há também as camadas jovens. A cerca de um mês do início dos Campeonatos Nacionais, quais são as suas perspectivas?
JPM: As equipas minhotas vão entrar em prova com vontade de chegar o mais longe possível. Penso no entanto – e corro o risco de não ser politicamente correcto! – que aquilo que aconteceu no Minho, com a divisão de alguns grupos competentes que podiam lutar pelo título nacional, pode ter fragilizado essa capacidade.
Estou-me a referir, nomeadamente, à divisão de atletas entre Barcelos e Braga: as equipas sobem, mas não um grupo tão homogéneo. Penso que o Braga tem boas equipas, pode chegar um bocadinho mais longe do que os outros…
Não descurando a ADB, de São Salvador de Campo, que no ano passado chegou à Final-Four de Infantis, e que este ano irá muito provavelmente, em Infantis e Iniciados. Ali há alguma consistência e há um projecto continuado. O Braga não é um projecto continuado, mas tem boas equipas. Com toda a franqueza, vejo com alguma dificuldade o Braga a lutar por algum título nacional este ano, mas podem no próximo ano chegar lá!



MdH: Mas há outros casos, noutros escalões, que poderão dar alguma dinâmica aos campeonatos…
JPM: Sim, mas sublinho que ao nível interno, a dinâmica é muito maior do que o que era dantes. Há mais equipas a discutir os dois ou três primeiros lugares! Há equipas a trabalhar muito bem, sobretudo devido a esta referida divisão. Antigamente, as equipas iam a Barcelos para perder por poucos… Hoje, as equipas vão jogar para ganhar ao Barcelos. Agora, o Barcelos ganha e perde, há maior incerteza no resultado.


MdH: E isso é bom para a selecção regional, nomeadamente de Iniciados?
JPM: Sim, é bom para esta selecção regional de iniciados e… não só.
Posso-lhe dizer que ontem (Sábado, dia 8 de Janeiro) fomos com as selecções de juvenis e de juniores jogar à Corunha. Este é um tipo de trabalho que nós, no Minho, mantemos porque pensamos que o “factor” selecção ajuda os clubes – que são os que fazem a maior parte do trabalho de formação – a manter motivados os jogadores com maior nível.
Nestes escalões não há trabalho de selecções, à excepção das nacionais. A nível regional mantemos esta tradição. Fazemo-lo, obviamente, com muito sacrifício, mas também com muito gosto, pois ajudamos os clubes a manter os jogadores motivados.



MdH: Uma das críticas – ou se preferir, sugestões… - que nós temos feito no “Mundo do Hóquei”, é em relação à falta de informação actualizada. O que pretende fazer a Associação este ano, a esse nível?
JPM: Nós teremos de trabalhar nessa área a nível local e regional, e temos consciência de que é fundamental melhorarmos. Reconheço que temos vindo a trabalhar mal, e há ainda muito a fazer, mas vamos ter, de facto, de melhorar, porque nos dias de hoje, sem informação não chegamos à mobilização que queremos também para o hóquei em patins.
Também penso que a nível nacional há que fazer um melhor trabalho de divulgação da modalidade. É que neste momento já estou envolvido na organização do Campeonato do Mundo de Juniores, e quando começámos a abordar a questão das transmissões televisivas, esbarrámos como um problema, que é o facto de, em Portugal, Sub-20 não é serviço público!
Nós achamos que é muito importante a televisão e a imagem!
Por isso, é importante que, seja qual for o nível a que estejamos – clubes, Associação e Federação, todos temos de ser muito mais eficazes na disponibilização das informações.
É essencial trabalharmos melhor esse aspecto!




José Paulo Maia Matias, nasceu a 29 de Julho de 1956 em Aveiro.
É industrial têxtil, dirigente político, membro da Assembleia Municipal de Barcelos desde 1997 (Partido Socialista) e presidente da Associação de Patinagem do Minho.

Comentários

  • Pedro Alves: Ao utilizador Martins: No Mundo do Hóquei, sempre demos liberdade aos utilizadores para se exprimirem. No teu caso, só se conseguem ler acusações sem argumentos, por favor, da próxima vez que comentares, argumenta ou poderás sofrer alguma penalização em relação a utilização deste portal.

  • martinsrahc: boa tarde...se sempre deram liberdade eu tomei essa liberdade e expressei-me da maneira que foi lido por voces,,pena nao terem publicado o comentario porque nao tratei mal ninguem ,e se calhar muita gente que frequenta este site iria ler e concordar comigo,,e ja agora os argumentos de que precisa sao dados aos sabados as 21:30 no pavilhao das tilias e noutros por ai fora...barretes ha muitos so os enfia quem quer..cumprimentos

Notícias lidas no momento

A carregar...